PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Dólar sobe contra real após perdas recentes e de olho em relações EUA-China e dados de emprego

23/07/2020 09h13

Por Luana Maria Benedito

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar acelerava a alta contra o real a mais de 1% nesta quinta-feira, sofrendo ajuste após perdas expressivas nas últimas sessões, enquanto os investidores mudavam seu foco para as relações entre Estados Unidos e China e dados norte-americanos decepcionantes.

A China alertou nesta quinta-feira que será forçada a reagir depois que os EUA ordenaram o fechamento de seu consulado em Houston, uma medida que o Ministério das Relações Exteriores chinês disse ter "prejudicado severamente" as relações entre os dois países.

Washington deu 72 horas para a China fechar o consulado "para proteger propriedade intelectual e informações particulares norte-americanas", o que preocupava os investidores sobre o futuro do pacto comercial entre as duas maiores economias do mundo e levava à compra de moedas seguras, como o dólar.

Ainda no radar dos investidores estava a notícia de que o número de norte-americanos que entraram com pedidos de auxílio-desemprego aumentou na semana passada pela primeira vez em quase quatro meses, sugerindo que a recuperação do mercado de trabalho dos EUA está estagnando em meio ao aumento dos casos de Covid-19 e demanda fraca.

"Há um pouco de correção, que foi motivada principalmente pela decepção com dados de auxílio desemprego nos Estados Unidos", disse Flávio Serrano, economista-chefe do banco Haitong. A moeda tinha apresentado movimento bastante forte nos últimos dias" e agora devolve parte das perdas, completou.

No exterior, o dólar era ganhador contra as principais divisas pares do real, depois de um início de semana positivo para ativos de risco.

Às 10:26, o dólar avançava 1,19%, a 5,1750 reais na venda. O contrato mais líquido de dólar futuro subia 0,98%, a 5,171 reais.

Apesar da alta desta quinta-feira, o dólar ainda tem queda de mais de 4% até agora na semana, depois que esperanças de estímulo global e sinais de retomada na agenda de reformas brasileira impulsionaram as apostas no real nos últimos pregões.

Mas, no ano, o dólar acumula salto de quase 30% contra a divisa brasileira, o que muitos analistas associam ao cenário de juros em mínimas históricas, que torna rendimentos locais menos atraentes para o investidor estrangeiro e, consequentemente, afeta o fluxo cambial.

Na véspera, o dólar spot havia recuado 1,87%, a 5,1143 reais na venda, menor patamar desde 12 de junho.