PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Encomendas de bens de capital nos EUA sobem, mas permanecem abaixo do nível de fevereiro

26/08/2020 09h39

WASHINGTON (Reuters) - As novas encomendas de bens de capital fabricados nos Estados Unidos aumentaram em julho, embora o ritmo tenha diminuído em relação ao ganho acentuado de junho, sugerindo que a recuperação do investimento empresarial pode ser mais gradual em meio a incertezas sobre a pandemia de Covid-19.

As encomendas de bens de capital excluindo defesa e aeronaves, medida observada de perto para planos de gastos empresariais, aumentaram 1,9% no mês passado, informou o Departamento do Comércio nesta quarta-feira. O chamado núcleo dos bens de capital saltou 4,3% em junho.

Os pedidos do núcleo de bens de capital estão ligeiramente abaixo do nível pré-pandemia. Eles caíram 1,9% em julho na comparação anual. O aumento no mês passado ficou em linha com a expectativa dos economistas.

Embora os novos casos de coronavírus tenham diminuído após um amplo ressurgimento após a reabertura de empresas em maio, a trajetória da pandemia permanece incerta, com muitas regiões criticamente afetadas.

Os pedidos do núcleo de bens de capital no mês passado foram sustentados pela demanda por maquinários, produtos fabricados com metais, computadores e produtos e equipamentos eletrônicos, eletrodomésticos e componentes elétricos.

Os embarques do núcleo de bens de capital subiram 2,4% no mês passado. Tal número é usado para calcular os gastos com equipamentos na medição do Produto Interno Bruto (PIB) do governo. Os embarques cresceram 3,8% em junho, mas permanecem 0,4% abaixo do nível de fevereiro.

O fechamento de empresas não essenciais em meados de março e um colapso nos preços do petróleo ajudaram a minar o investimento empresarial, que já estava sob pressão da guerra comercial do governo Trump com a China.

Os pedidos de bens duráveis, itens que vão de torradeiras a aeronaves e que tem duração de três anos ou mais, aumentaram 11,2% em julho, após alta de 7,7% em junho.

Os pedidos de bens duráveis foram impulsionados pela robusta demanda por veículos motorizados, que avançou 21,9% após acelerar 85,6% em junho. Não houve registros de pedidos de aeronaves civis. Os pedidos de equipamentos de transporte saltaram 35,6% no mês passado, após alta de 19,7% em junho. Os veículos automotores têm um peso maior na categoria de transportes.

(Reportagem de Lucia Mutikani)