PUBLICIDADE
IPCA
1,35% Dez.2020
Topo

Itália assina decreto para vender Monte dei Paschi, dizem fontes

07/09/2020 15h24

Por Giuseppe Fonte

ROMA (Reuters) - O ministro da Economia da Itália, Roberto Gualtieri, assinou um decreto do governo listando opções de venda do controle acionário italiano no Monte dei Paschi di Siena, disseram à Reuters duas fontes próximas ao assunto.

Roma resgatou o Monte dei Paschi em 2017, gastando 5,4 bilhões de euros em uma participação de 68% que, de acordo com os termos do resgate negociado com as autoridades de concorrência da União Europeia, deve ser vendida no próximo ano.

A assinatura de Gualtieri abre caminho para a aval final do primeiro-ministro Giuseppe Conte, disseram as duas fontes.

O Tesouro italiano não quis comentar.

Embora o Movimento 5 Estrelas co-governante da Itália queira que o Estado adie sua saída de Monte dei Paschi, fontes disseram à Reuters que o Tesouro está trabalhando para encontrar um comprador até o fim do ano.

O objetivo é combinar uma fusão com um esquema complexo para liberar o banco de seus empréstimos problemáticos restantes, disseram as fontes.

Embora o Banco BPM seja visto pelo Tesouro como um bom parceiro, o banco com sede em Milão negou repetidamente qualquer interesse em uma parceria com o Monte dei Paschi.

O decreto, obtido pela Reuters, autoriza o Tesouro a ajudar Monte dei Paschi a se desfazer de 8,1 bilhões de euros em dívidas problemáticas por meio de um acordo com o gestor de empréstimos inadimplentes estatal Amco.

Essa limpeza "é essencial para dar ao banco a perspectiva de um retorno duradouro da lucratividade ... e abrir caminho para que o ministério da economia venda sua participação", afirma o decreto.

Roma lista maneiras de o governo liquidar sua participação, que incluem ofertas de ações, um leilão público ou uma fusão.

(Reportagem de Giuseppe Fonte)