PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

ONS aumenta otimismo com demanda por energia em setembro apesar de pandemia

11/09/2020 14h07

SÃO PAULO (Reuters) - O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) aumentou o otimismo quanto à demanda por energia do Brasil e agora estima um aumento de 2,1% em setembro na comparação com o mesmo mês do ano anterior, mesmo com o país ainda se recuperando dos impactos da pandemia de coronavírus.

Em meio ao relaxamento gradual de medidas de isolamento adotadas para conter a disseminação da Covid-19, o ONS divulgou expectativas de elevação de 5,8% na carga de energia da região Sul neste mês e de 5,4% no Norte, segundo boletim publicado nesta sexta-feira.

Na semana passada, o órgão do setor de energia previa expansão de apenas 0,5% na demanda em todo o sistema elétrico interligado, com alta de 5% no Sul e de 3% no Norte.

No Sudeste, principal centro de consumo de energia e polo de atividade econômica, o ONS espera agora aumento de 1,3% na carga na comparação com setembro do ano passado, contra recuo de 0,8% estimado na semana anterior.

A única região com retração prevista é o Nordeste, onde o ONS manteve a projeção de queda de 0,5% na carga.

O melhor desempenho previsto para o consumo de eletricidade vem após uma demanda praticamente estável na comparação anual em julho e agosto, segundo dados prévios da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE).

Em abril, primeiro mês inteiramente sob impacto de quarentenas adotadas em Estados e municípios brasileiros contra o coronavírus, a carga de energia desabou 12%, para depois iniciar uma recuperação gradual.

A retomada no Brasil em termos de uso de eletricidade, inclusive, tem sido mais rápida que em outros países duramente atingidos pela pandemia, como Reino Unido, França, Espanha e Itália, mostraram dados da CCEE na quinta-feira.

HIDRELÉTRICAS

O ONS projetou ainda que as chuvas nas proximidades das hidrelétricas, principal fonte de geração do Brasil, devem em setembro atingir 72% da média história no Sudeste, onde estão os principais reservatórios. Na semana anterior, a estimativa era de 77%.

No Nordeste, segunda região em reservatórios, as precipitações estão previstas em 68% da média histórica, mesmo número da semana passada.

No Sul, que passou por uma seca recente, as chuvas devem somar 59% da média, segundo o ONS, contra 72% na previsão anterior.

(Por Luciano Costa)