PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Dólar abandona alta e fecha em queda com exterior e Tesouro

17/09/2020 17h04

Por José de Castro

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar fechou em leve queda ante o real nesta quinta-feira, com alívio amparado pelo exterior depois de um começo de sessão mais estressado, um dia após o Banco Central sinalizar que o juro básico permanecerá em 2% nos próximos vários meses.

O dólar à vista caiu 0,17%, a 5,2319 reais na venda, nova mínima desde 31 de julho (5,2185 reais).

A cotação chegou a subir 1,00%, para 5,293 reais, ainda na primeira hora de negócios.

Segundo analistas, o câmbio mostrou nervosismo no começo do pregão conforme o mercado digeria indicação do Banco Central considerada "dovish" (pró-estímulos monetários).

Embora tenha elevado a barra para mais redução da Selic, o BC não fechou completamente a porta para esse movimento e, na avaliação do Itaú Unibanco, a autoridade monetária pareceu menos preocupada com riscos de alta da inflação no médio prazo, em meio a um cenário de economia ainda afetada por dúvidas sobre redução de auxílio emergencial e evolução da pandemia.

Mas ainda pela manhã o sinal no câmbio começou a melhorar, assim como nos mercados de juros e bolsa, à medida que o índice do dólar passou a enfraquecer com os mercados ainda analisando o tom também "dovish" do banco central norte-americano em decisão de política monetária da véspera.

Perto do fechamento, o dólar caiu 0,24%, para 5,228 reais, mínima intradiária.

"O mercado se acalmou um pouco pela atuação do Tesouro fazendo as vezes de bombeiro", comentou Sérgio Machado, gestor na TRÓPICO Latin America Investments, referindo-se ao menor leilão de títulos públicos prefixados realizado pelo Tesouro nesta quinta, com lote 55% abaixo do da semana passada.

Os DIs caíram nesta quinta, e o Ibovespa subiu 0,42%, segundo dados preliminares.

Na última quinta-feira, uma operação recorde com os mesmos vencimentos chacoalhou os mercados, provocando mal-estar no dólar e forte estresse na curva de DI.