PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Bolsonaro reforça defesa à indicação de Kassio Nunes ao STF em meio a críticas

08/10/2020 21h35

Por Ricardo Brito

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente Jair Bolsonaro reforçou nesta quinta-feira a defesa à indicação do desembargador Kassio Nunes para uma vaga no Supremo Tribunal Federal (STF), rebatendo os diferentes ataques e cobrando "inteligência para criticar", e reclamou principalmente das críticas vindos da própria direita.

Bolsonaro rebateu comentários de que Nunes seria abortista, petista --por ter virado desembargador do Tribunal Regional Federal da Primeira Região (TRF-1) por escolha da então presidente Dilma Rousseff--, desarmamentista e se posicionado a favor da liberdade de Cesare Battisti, italiano condenado por homicídio que recebeu asilo do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O presidente destacou, em transmissão nas redes sociais, que não competia mais ao desembargador decidir sobre a permanência ou extradição de Battisti, quando uma turma que integrava apreciou um processo que envolvia o italiano, porque o STF já havia decidido que cabia ao presidente se manifestar.

"No mínimo (precisa de) inteligência para criticar, é triste tratar dessa forma as pessoas", protestou, reclamando principalmente dos ataques vindos da direita.

Apesar da defesa da indicação, o presidente não fez qualquer comentário sobre reportagens que órgãos de imprensa têm feito sobre cursos que Nunes diz ter feito em seu currículo, mas que tem sido contestados.

Nunes foi indicado para a vaga aberta pela aposentadoria do ministro do STF Celso de Mello, magistrado alvo de críticas do presidente que se aposenta no próxima terça-feira após 31 anos na corte.

Exaltado em alguns momentos da transmissão, chegando a falar palavrões, Bolsonaro disse que se tem alguém melhor do que ele que apareça para disputar a Presidência em 2022. Afirmou que, se não estiver bem avaliado, não concorrerá à reeleição.

"Agora, se tem alguém melhor do que eu, que tem por aí, esse cara tem que aparecer, tem milhares de pessoas melhores do que eu, ter coragem de disputar uma eleição, fazer campanha sem recurso", disse.