PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Ibovespa tem leve queda, mas sustenta 100 mil pontos e caminha para ganho semanal

06/11/2020 12h14

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa afastava-se das mínimas desta sexta-feira, após perder momentaneamente o patamar dos 100 mil pontos mais cedo com movimento de realização de lucros, e caminhava para um resultado positivo na semana, que teve como principal evento as eleições nos Estados Unidos.

Investidores no mercado brasileiro também analisam nesta sessão o IPCA de outubro, que acelerou a alta para 0,86%, assim como balanços corporativos, entre eles os de Lojas Renner e Iguatemi.

Às 12:12, o Ibovespa caía 0,28%, a 100.473,65 pontos. Na mínima, chegou a 99.837,04 pontos. Na máxima, a 100.853,77 pontos. O volume financeiro na bolsa somava 7 bilhões de reais. Na semana, até o momento, o Ibovespa acumula alta de quase 7%.

A área de análise técnica do Itaú BBA observou que o Ibovespa seguiu o movimento de recuperação e voltou para a região dos 100 mil pontos, o que é importante, mas que ele não conseguiu ainda superar a resistência em 102.200 pontos, conforme relatório a clientes.

"A recuperação dos mercados internacionais diminuiu a pressão nos suportes testados na última semana e levaram os mercados a testarem as resistências. Os olhos agora, se voltam para capacidade dos mercados em superarem essa região."

Wall Street abriu com sinal negativo, com dados sobre o mercado de trabalho norte-americano melhores do que o esperado, mas reforçando a percepção de desaceleração da recuperação econômica, enquanto as eleições continuam ocupando os holofotes e investidores embolsam lucros após rali recente.

Entre as últimas notícias da disputa presidencial, o democrata Joe Biden ultrapassou o republicano Donald Trump na apuração dos votos no Estado da Pensilvânia, segundo a Edison Research. Um vitória nesse Estado pode ser decisiva para Biden, que está à frente na corrida eleitoral.

Em comentário a clientes, a equipe da Planner chamou a atenção para o noticiário relativamente carregado nesta sessão, mas destacou que o foco central está voltado para a reta final da apuração da eleição nos EUA.

DESTAQUES

- LOJAS RENNER ON perdia 4,70%, após prejuízo no terceiro trimestre, refletindo forte queda de receitas devido a limitações de funcionamento em boa parte da rede por causa da pandemia da Covid-19, embora a varejista de moda enxergue uma volta à normalidade desde outubro.

- FLEURY ON caía 2,96%, em meio a movimentos de realização de lucros, após alta de 7,5% nos últimos dois pregões.

- IGUATEMI ON valorizava-se 1,58%, revertendo fraqueza do começo do pregão, tendo de pano de fundo balanço do terceiro trimestre com lucro de 61,6 milhões de reais, bem como declarações de executivos da companhia de que já está vendo retorno de vendas em seus shoppings.

- IRB BRASIL RE ON subia 4,97%, experimentando uma recuperação, embora sua cotação ainda se situe abaixo dos patamares do começo da semana passada.

- VALE ON avançava 1,69%, mesmo com a queda dos preços futuros do minério de ferro na China quanto em Cingapura, à medida que estimativas apontavam para aumento nas exportações do produto utilizado na fabricação do aço pela Austrália no mês passado.

- PETROBRAS PN recuava 0,1%, tendo de pano de fundo a queda dos preços do petróleo no exterior, onde o Brent cedia 1,64%.

- ITAÚ UNIBANCO PN caía 0,04%, em meio a embolso de lucros após forte valorização nos últimos pregões. BRADESCO PN perdia 0,52%. Entre os bancos do Ibovespa, a exceção era BTG PACTUAL UNIT, em alta de 1,04%.