PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Ibovespa experimenta pausa em rali com realização de lucros; ecommerce atenua perdas

11/11/2020 11h31

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - A bolsa paulista refletia movimentos de realização de lucros nesta quarta-feira, após seis pregões consecutivos de alta, com Braskem entre as maiores quedas do Ibovespa após prejuízo maior no terceiro trimestre, enquanto o setor de ecommerce atenuava o viés negativo.

Às 11:24, o Ibovespa caía 0,15%, a 104.913,22 pontos. O volume financeiro era de 7,7 bilhões de reais.

Na véspera, o Ibovespa fechou em alta e flertando com níveis pré-pandemia, com Petrobras e outras blue chips como Bradesco, Itaú Unibanco e Ambev entre os principais suportes. Nos seis pregões consecutivos de alta, o índice acumulou valorização de quase 12%.

No exterior, os futuros acionários norte-americanos avançavam em meio às expectativas de vacina para a Covid-19, que alimentavam perspectivas melhores sobre a retomada da economia, com papéis de tecnologia também sinalizando uma recuperação após 'sell-off' recente.

De acordo com equipe da Ágora Investimentos, a esperança sobre uma vacina contra a Covid-19 alimenta o bom humor nas bolsas da Europa e futuros em Nova York, e, mesmo após o rali do Ibovespa nos últimos dias, o bom momento nos mercados externos tende a beneficiar as ações brasileiras.

Também no radar está o rebalanceamento dos índices MSCI Global Standard que entrará em vigor a partir de 1º de dezembro, e que no caso do MSCI Brazil incluiu as ações de Alpargatas, Bradespar e Totvs. Foram excluídos os papéis de Braskem, Cielo, Cogna, IRB Brasil e Porto Seguro. (https://bit.ly/3neWYXA)

DESTAQUES

- BRASKEM PNA recuava 4,72%, após divulgar prejuízo líquido de 1,4 bilhão de reais no terceiro trimestre, acima da perda de 888 milhões de reais um ano antes, em resultado afetado por provisão adicional referente a evento geológico de Alagoas e efeito cambial. A ação da petroquímica também foi excluída em revisão do MSCI.

- GOL PN caía 3,61% e AZUL PN recuava 3,99%, após forte valorização neste mês com expectativas mais positivas associadas ao desenvolvimento de vacina contra o coronavírus. Até a véspera, subiam mais de 30% cada em novembro. CVC BRASIL ON cedia 2,03%.

- VIA VAREJO ON valorizava-se 4,04% antes do balanço previsto para após o fechamento o pregão, com o setor de ecommerce como um todo recuperando-se na bolsa após um começo de mês com ajustes negativos. MAGAZINE LUIZA ON subia 2,66% e B2W ON mostrava acréscimo de 3,87%.

- ITAÚ UNIBANCO PN cedia 1,39%, com agentes financeiros embolsando lucros recentes, o que também pressionava BRADESCO PN, em queda de 1,11%. A exceção no Ibovespa era BTG PACTUAL UNIT, que subia 2,09%.

- PETROBRAS PN recuava 1,65%, corrigindo forte valorização nesta semana, embora a alta dos preços do petróleo no exterior atenuasse as perdas. PETROBRAS ON caía 1,73%.

- CARREFOUR ON cedia 1,02%, revertendo a abertura mais positiva, tendo de pano de fundo resultado do terceiro trimestre, com lucro líquido ajustado de 757 milhões de reais de julho a setembro, alta de 73,1% ante o mesmo período de 2019.No setor, GPA ON subia 0,82%.

- AERIS ON, que não está no Ibovespa, disparava 13,87%, a 6,32 reais, em sua estreia na B3, após a produtora de pás para turbinas de energia eólica precificar oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) a 5,5 reais por ação, abaixo da faixa estimada pelos coordenadores.