PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Nasdaq encerra em alta com papéis de tecnologia retomando apelo

11/11/2020 18h17

Por Sinéad Carew

(Reuters) - O índice Nasdaq fechou em alta de 2% nesta quarta-feira, com investidores migrando de volta para ações de tecnologia e tomando distância de setores economicamente sensíveis, à medida que confrontaram o progresso em uma vacina para a Covid-19 contra um salto nos casos do coronavírus e seus potenciais efeitos sobre a recuperação econômica.

Depois de recuar drasticamente por dois dias, o Nasdaq, concentrado em papéis de tecnologia, foi impulsionado por ações beneficiadas pelo isolamento social, como as de Microsoft e Netflix Inc, que subiram mais de 2%, e de Amazon.com Inc e Apple Inc, com altas superiores a 3%.

Os dados encorajadores de segunda-feira de um ensaio clínico em estágio final da vacina contra o coronavírus levaram a uma migração de dois dias de papéis de tecnologia para setores que apresentam desempenho superior na saída de recessões, como industrial , de materiais básicos e energia.

Mas investidores mudaram de marcha nesta quarta-feira, preferindo o índice S&P para as chamadas "growth stocks", que inclui papéis de tecnologia (economicamente menos sensíveis) e vendendo integrantes do índice S&P para "value stocks" , que inclui bancos e ações de energia.

"Provavelmente teremos esses trancos e barrancos na rotação até entrarmos na primavera (no Hemisfério Norte)", disse Shawn Snyder, estrategista-chefe de Investimento da Citi Personal Wealth Management. "Ainda há balanços muito fortes para essas empresas de tecnologia e você ainda está enfrentando um aumento potencial de casos da Covid-19 durante os meses de inverno e novas restrições e paralisações."

O Dow Jones teve variação negativa de 0,08%, para 29.397,63 pontos, o S&P 500 ganhou 0,77%, para 3.572,66 pontos, e o ​​Nasdaq teve alta de 2,01%, para 11.786,43 pontos.

O índice de tecnologia, com alta de 2,4%, liderou os ganhos entre os 11 principais índices setoriais do S&P 500, seguido pelo índice de consumo discricionário, que fechou com alta de 1,5%, amparado pela Amazon.com. Entre os setores, os maiores declínios foram dos segmentos de materiais básicos, com queda de 1,4%, com o índice de empresas industriais e o de energia vindo na sequência, ambos com queda superior a 0,8%.