PUBLICIDADE
IPCA
+0,53 Jun.2021
Topo

Dólar devolve perdas ante real com fiscal doméstico no radar

23/11/2020 09h08

Por Luana Maria Benedito

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar zerou a queda contra o real nesta segunda-feira, com desconforto sobre a situação fiscal do Brasil pesando apesar de esperanças em relação ao desenvolvimento de uma vacina para a Covid-19.

Às 11h47, o dólar à vista tinha variação positiva de 0,08%, a 5,3913 reais na venda, após oscilar entre 5,3395 reais (-0,88%) e 5,3951 reais (+0,15%).

O contrato mais líquido de dólar futuro alta de 0,21%, a 5,3920 reais.

"O mercado está bastante desconfortável com o andamento das discussões sobre o fiscal, muito por conta das incertezas do próprio governo, que não define medidas concretas que devem ser tomadas", disse à Reuters Thomás Gibertoni, especialista da Portofino Multi Family Office.

"Já passamos do primeiro turno das eleições (municipais), então esperava-se aceleração das discussões no Congresso. Isso deve seguir até que o governo paute prioridades."

Investidores monitoraram falas do ministro Paulo Guedes, que participou nesta manhã de webinário da Firjan e evento da International Chamber of Commerce Brazil.

Guedes adotou discurso mais uma vez otimista em relação à recuperação econômica brasileira diante da crise do coronavírus e defendeu a continuidade da agenda de reformas do governo. Ele disse ter certeza quanto à aprovação pela Câmara dos Deputados da autonomia formal do Banco Central e afirmou acreditar que "estamos muito próximos da reforma tributária, além de ter defendido a importância das privatizações.

Guedes ainda participará de evento anual conjunto da Empiricus e da Vitreo, a partir de 16h (de Brasília).

Seus discursos vêm num contexto de grandes dúvidas sobre a saúde das contas públicas brasileiras, com os mercados temendo que o governo de Jair Bolsonaro possa furar o teto de gastos ao tentar financiar um novo programa de auxílio social.

As incertezas sobre a situação fiscal brasileira, combinadas com um ambiente de juros extremamente baixos, têm sido apontadas como forte fator de impulso para o dólar no mercado de câmbio doméstico, com a moeda norte-americana acumulando salto de mais de 34% até agora em 2020.

No cenário internacional, a moeda norte-americana cedia cerca de 0,3% contra uma cesta de pares fortes nesta segunda-feira, depois que a farmacêutica britânica AstraZeneca anunciou que sua potencial vacina contra o novo coronavírus pode ser em torno de 90% eficaz sem nenhum efeito colateral grave, dando ao mundo mais uma ferramenta importante no combate à pandemia de Covid-19.

Na semana passada, as empresas norte-americanas Pfizer e Moderna já haviam anunciado resultados promissores nos ensaios de suas vacinas, o que ajudou o índice do dólar a registrar perda semanal de 0,4%.

"As expectativas em relação às vacinas para a Covid-19 dão fôlego aos mercados, que reagem ao conjunto de notícias positivas relacionados a esse tema desde sexta-feira", disseram em nota analistas do Bradesco.

Na última sessão, na sexta-feira, a moeda norte-americana registrou salto de 1,39%, a 5,387 reais na venda.