PUBLICIDADE
IPCA
+0,53 Jun.2021
Topo

'Inflação do aluguel' acelera para 3,28% em novembro e acumula 24,5% em 12 meses

Índice é usado para corrigir valotes de aluguel de imóveis - Por Luana Maria Benedito
Índice é usado para corrigir valotes de aluguel de imóveis Imagem: Por Luana Maria Benedito

27/11/2020 08h03

Por Luana Maria Benedito

SÃO PAULO (Reuters) - O Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M), considerado a "inflação do aluguel", passou a subir 3,28% em novembro, depois de avanço de 3,23% no mês anterior, uma vez que os preços das commodities no atacado pressionara o índice segundo dados divulgados nesta sexta-feira pela Fundação Getulio Vargas (FGV).

Com este resultado, o índice acumula alta de 21,97% no ano e de 24,52% em 12 meses. Em novembro de 2019, o índice havia subido 0,30% e acumulava alta de 3,97% em 12 meses.

A expectativa em pesquisa da Reuters para o dado mensal era de uma alta de 3,22%.

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que responde por 60% do índice geral e apura a variação dos preços no atacado, acelerou a alta a 4,26% em novembro, depois de ganhar 4,15% em outubro.

O grupo Matérias-Primas Brutas subiu 5,60% em novembro, ante 5,55% em outubro, enquanto os Bens Intermediários registraram alta de 4,07%, ante 3,74% no mês anterior.

Segundo André Braz, coordenador dos índices de preços, o avanço nos preços de commodities agropecuárias importantes colaborou para a consolidação do IPA, e consequentemente, para a alta do índice geral. "Nesta edição, destacaram-se milho (10,95%

para 21,85%), trigo (2,32% para 19,20%) e bovinos (6,92% para 7,40%)", acrescentou.

A pressão para o consumidor ficou ligeiramente mais fraca, dado que o Índice de Preços ao Consumidor (IPC), com peso de 30% sobre o índice geral, passou a subir 0,72% no mês, de alta de 0,77% em outubro.

A principal colaboração para esse resultado partiu do grupo Educação, Leitura e Recreação, que desacelerou sua alta de 3,10% para 1,44% em novembro, refletindo o arrefecimento do preços das passagens aéreas.

O Índice Nacional de Custo de Construção (INCC), por sua vez, registrou alta de 1,29% em novembro, depois de subir 1,69% em outubro.

O IGP-M é utilizado como referência para a correção de valores de contratos, como os de aluguel de imóveis.