PUBLICIDADE
IPCA
1,35% Dez.2020
Topo

Bolsonaro discute com presidente do Uruguai flexibilizar negociação de integrantes do Mercosul com outros países

Bolsonaro discute com presidente do Uruguai flexibilizar negociação de integrantes do Mercosul com outros países - Getty Images/iStockphoto
Bolsonaro discute com presidente do Uruguai flexibilizar negociação de integrantes do Mercosul com outros países Imagem: Getty Images/iStockphoto

03/02/2021 15h06

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quarta-feira que conversou com o presidente do Uruguai, Luis Lacalle Pou, sobre a possibilidade de flexibilizar negociações de integrantes do Mercosul com outros países fora do bloco.

Bolsonaro também previu a possibilidade de um encontro do Mercosul no final de março no Brasil.

"Conversamos sobre a possibilidade de flexibilizar para cada país os seus negócios com outros países, falamos um pouco de energia e infraestrutura também", disse Bolsonaro após encontro com o presidente uruguaio no Palácio do Planalto.

A intenção do Brasil de flexibilizar negociação de acordos comerciais conta com a simpatia do ministro da Economia, Paulo Guedes. A ideia é que acertos com outros países não precisariam necessariamente do aval de todos os membros do Mercosul e que houvesse margem para negociações paralelas.

Segundo o presidente, o encontro do Mercosul de março deverá ocorrer em Foz do Iguaçu, área de fronteira com Argentina e Paraguai, também integrantes do bloco.

Bolsonaro disse ainda que a visita de Lacalle Pou foi informal e destacou que o Uruguai é um "parceiro nosso" e importante para a integração do bloco comercial. Destacou terem sido tratados no encontro, do qual participaram ministros, temas como energia e infraestrutura.

Ao lado dos ministros de Minas e Energia, Bento Albuquerque, da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, e das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, o presidente aproveitou sua fala para elogiar o trabalho do seu chanceler ao destacar que, no provável encontro do Mercosul, vai seguir a linha de atuação dada por ele.

"Obviamente da minha parte sempre seguindo aqui orientação do Ernesto Araújo que tem feito um brilhante trabalho de relações públicas com o mundo todo, como fez na questão da pandemia com a China", disse.

Na semana passada, o vice-presidente Hamilton Mourão disse Araújo poderia ser um dos integrantes do primeiro escalão que poderia deixar o governo em uma eventual reforma ministerial. Bolsonaro negou a saída de Araújo e ainda fez questão de dizer que cabe a ele a troca de ministros.