PUBLICIDADE
IPCA
+0,93 Mar.2021
Topo

PF faz operação em caso de importação e aplicação de vacinas por empresários em MG

26/03/2021 11h25

BRASÍLIA (Reuters) - A Polícia Federal fez nesta sexta-feira uma operação para investigar a denúncia de importação e aplicação irregular de vacinas contra Covid-19 por um grupo de empresários de Minas Gerais.

Estavam sendo cumpridos quatro mandados de busca e apreensão em Belo Horizonte, onde, de acordo com reportagem da revista Piauí, empresários e suas famílias estavam recebendo as vacinas. Ainda de acordo com a revista, as vacinas importadas irregularmente seriam do laboratório Pfizer.

A investigação foi aberta na quinta-feira pelo Ministério Público Federal em Minas Gerais. De acordo com o MP, se os fatos forem confirmados podem indicar importação ilegal de medicamentos e violação, se foi feita antes da aprovação da lei que autorizou a importação por Estados, municípios e entidades privadas.

Se foi posterior, inclui o crime de descaminho, já que a lei obrigada a doação das vacinas importadas ao Sistema Único de Saúde enquanto todos os grupos prioritários não estiverem vacinados.

A Pfizer negou em nota qualquer venda ou distribuição da vacina da empresa no Brasil fora do âmbito do Programa Nacional de Imunização (PNI), e lembrou que o imunizante ainda não está disponível no território brasileiro.

A empresa lembrou ter firmado um acordo com o Ministério da Saúde para o fornecimento de 100 milhões de doses ao longo deste ano.

O processo de vacinação contra a Covid-19 no Brasil tem sido lento desde seu início, em meados de janeiro, e acabou se tornando um dos pontos mais criticados na condução do combate à pandemia pelo governo do presidente Jair Bolsonaro.

Até a manhã desta sexta-feira, segundo dados oficiais, tinham sido aplicadas no país 16,632 milhões de doses, sendo 12,166 milhões de primeiras doses e 4,466 milhões de segundas.

O Brasil enfrenta seu pior momento da crise sanitária, com seguidos recordes de mortes pela Covid-19 e novos casos. No total, mais de 303 mil pessoas já morreram da doença desde o início da pandemia no país e 12,3 milhões de pessoas foram infectadas.

(Reportagem de Lisandra Paraguassu)