PUBLICIDADE
IPCA
+0,83 Mai.2021
Topo

Dólar renova mínimas desde dezembro após dados de emprego nos EUA

04/06/2021 09h19

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar passou a cair e renovou mínimas desde dezembro frente ao real nesta sexta-feira, abandonando alta da abertura após dados de emprego nos Estados Unidos mais fracos que o esperado.

Às 10h27, o dólar à vista recuava 0,43%, a 5,0623 reais na venda, depois de oscilar entre 5,109 reais (+0,49%) e 5,0568 reais (-0,54%).

Na B3, o dólar futuro de primeiro vencimento chegou a marcar 5,0685 reais, menor patamar intradia desde 17 de dezembro do ano passado (5,0390 reais).

O dólar vinha em alta até 9h29 (de Brasília) e sofreu uma queda abrupta às 9h30, quando os Estados Unidos reportaram criação de empregos em maio aquém do esperado, o que fez virar também o dólar no exterior.

Os postos de trabalho fora do setor agrícola aumentaram em 559 mil no mês passado, disse o Departamento do Trabalho em seu relatório de empregos nesta sexta-feira. Economistas consultados pela Reuters previam abertura líquida de 650 mil vagas de emprego em maio.

A reação negativa do dólar se deveu ainda ao fato de que, na véspera, dados de emprego privado nos EUA vieram mais fortes que o esperado, o que levou o índice da moeda norte-americana no exterior a uma máxima em três semanas.

"Os dados garantem tempo ao Fed, ou seja, sem pressa para acelerar o processo de normalização monetária", disse Dan Kawa, CIO da TAG Investimentos. "No geral, números positivos para os ativos de risco."

O índice do dólar contra uma cesta de moedas de países ricos caía 0,4%, depois de subir 0,15% mais cedo. Todas as principais divisas de risco pares do real subiam, com altas entre 0,2% e 0,8%.

O exterior pró-risco fortalece no câmbio os efeitos do já positivo ambiente doméstico. O dólar futuro cai 13,7% desde a máxima do ano perto de 5,90 reais alcançada no começo de março, num misto de cenário externo benigno e, do lado doméstico, retirada do risco de ruptura fiscal aguda no curto prazo, sinais de aceleração do crescimento econômico e juros mais altos.

Estrategistas do Société Générale dizem que o dólar caiu abaixo de um suporte de 5,11 reais. "O dólar caiu na esteira de robustos fluxos de portfólio, o que coloca a moeda a caminho dos 5,00 reais", disseram em nota.

(Por José de Castro)