PUBLICIDADE
IPCA
+0,53 Jun.2021
Topo

Câmbio apreciado reflete fluxo turbinado por commodities e crescimento, diz Campos Neto

24/06/2021 13h21

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, afirmou nesta quinta-feira que a recente trajetória de apreciação do câmbio brasileiro pode ser explicada, em parte, por uma melhora do fluxo financeiro.

Em entrevista coletiva remota para comentar o Relatório Trimestral de Inflação, Campos Neto disse que o aumento da entrada de recursos no país estaria refletindo uma reação defasada ao superciclo das commodities --evidenciada pelos números da balança comercial-- bem como por uma procura de investidores por ativos que combinem crescimento com estabilidade fiscal.

"O crescimento tem sido reavaliado para cima, e a trajetória da dívida bruta tem sido, também, reavaliada para melhor. Então, nesse movimento de reprecificação de fluxos mundiais, o Brasil se saiu melhor e por isso que, mais recentemente, tem tido fluxos maiores, o que, obviamente, têm impacto na trajetória do câmbio", explicou.

Ele também citou a tramitação da agenda econômica do governo, sugerindo que o noticiário em torno do andamento de reformas no Congresso pode ter influenciado positivamente o fluxo.

Questionado pela Reuters sobre se a autoridade monetária está "satisfeita" com o nível de valorização de real, em torno de 20% desde o mês de março, o presidente do BC voltou a pontuar que a dinâmica do câmbio é flutuante.

"Para o Banco Central, o câmbio é um 'input' e o que importa é o canal...do câmbio na inflação, na expectativa de inflação."

Na manhã desta quinta, o dólar acelerou queda contra a moeda brasileira, chegando a aproximar-se dos 4,92 reais. O real já acumula valorização de 5,6% frente ao dólar até o momento neste ano.

(Por Gabriel Ponte)