PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

BOLSA ÁSIA-Ações de Hong Kong e China caem com temores sobre regulamentação, iuan cai

27/07/2021 07h31

Por Andrew Galbraith

XANGAI (Reuters) - As ações da China e de Hong Kong ampliaram as perdas e terminaram em mínimas de vários meses nesta terça-feira, com os investidores preocupados com o impacto de regulamentações mais rígidas do governo.

O que começou como vendas em ações contaminou os mercados de renda fixa e câmbio nesta terça-feira, levando o iuan a cair abaixo de níveis psicológicos importantes e os futuros dos títulos do governo chinês de 10 anos a perder 0,35%.

O iuan onshore e offshore devolveu pequenos ganhos contra o dólar para enfraquecer além de 6,5 por dólar, para mínimas em mais de três meses. Um operador de um banco estrangeiro disse que a quebra do nível de 6,5 pode levar a mais fraqueza para o iuan.

Nos mercados acionários, o índice Hang Seng de Hong Kong caiu 4,22%, para o menor nível de fechamento desde novembro e levando as perdas desde quinta-feira a mais de 9,5%.

O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, caiu 3,53%, no menor nível de fechamento desde novembro, enquanto o índice de Xangai teve queda de 2,49%, para o patamar mais fraco desde 25 de março.

As perdas aconteceram depois de novas regras para o setor de tutoria privada da China, além de novas medidas regulatórias nos setores de tecnologia e imobiliário.

. Em TÓQUIO, o índice Nikkei avançou 0,49%, a 27.970 pontos.

. Em HONG KONG, o índice HANG SENG caiu 4,22%, a 25.086 pontos.

. Em XANGAI, o índice SSEC perdeu 2,49%, a 3.381 pontos.

. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, retrocedeu 3,53%, a 4.751 pontos.

. Em SEUL, o índice KOSPI teve valorização de 0,24%, a 3.232 pontos.

. Em TAIWAN, o índice TAIEX registrou baixa de 0,77%, a 17.269 pontos.

. Em CINGAPURA, o índice STRAITS TIMES desvalorizou-se 0,01%, a 3.138 pontos.

. Em SYDNEY o índice S&P/ASX 200 avançou 0,50%, a 7.431 pontos.

(Reportagem de Andrew Galbraith e Winni Zhou; reportagem adicional de Samuel Shen)

PUBLICIDADE