PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Clientes voltam às lojas e Walmart aumenta projeções; vendas online desaceleram

17/08/2021 17h25

Por Aishwarya Venugopal e Richa Naidu

(Reuters) - O Walmart elevou nesta terça-feira a projeção de vendas anuais na base mesmas lojas após superar projeções de analistas, com clientes deixando o lockdown e passando a comprar mais roupas, equipamentos de viagem e produtos de volta às aulas.

Enquanto as vendas nas lojas cresceram, o ritmo do comércio online caiu drasticamente para 6%, de 37% no primeiro trimestre.

Mesmo assim, o Walmart está a caminho de atingir 75 bilhões de dólares em vendas de e-commerce globais até o fim do ano - a varejista divulgou seu maior crescimento de vendas online ano passado, em 97%, porque as pessoas usaram o serviço de entregas rápidas para comprar bens essenciais no auge da pandemia.

"Mesmo com a desaceleração do ecommerce, em cima do tremendo crescimento do ano passado… A boa notícia é que podemos atender (os clientes) de qualquer maneira", disse o executivo-chefe Doug McMillon.

O resultado inicia uma semana importante para varejistas dos EUA - incluindo a Target e a Macy's - que devem se beneficiar de pessoas saindo mais de casa. Mas investidores temem que essa nova liberdade seja curta por causa do ressurgimento de casos de Covid-19 devido à variante Delta.

As vendas nas lojas do Walmart nos EUA abertas há pelo menos um ano cresceram 5,2%, excluindo combustível, no trimestre que terminou em 31 de julho. Analistas previam crescimento de 3,69%, segundo dados IBES da Refinitiv.

O Walmart agora espera que as vendas na base mesmas lojas nos EUA no ano fiscal de 2022 cresçam de 5% a 6%, em comparação com crescimento de um dígito projetado antes. Também espera que as vendas do atual trimestre fiquem bem acima das estimativas. Esse panorama leva em conta o fortalecimento da economia dos EUA e nenhum estímulo relevante a mais do governo até o fim do ano.

A margem bruta do Walmart norte-americano subiu 20 pontos base, com menos descontos e o dobro de vendas de anúncios ajudando a compensar custos maiores na cadeia de abastecimento.

O Walmart teve lucro ajustado por ação de 1,78 dólar, acima das expectativas dos analistas de 1,57 dólar por ação. A receita subiu a 141 bilhões de dólares, ante previsão de 137,2 bilhões.

PUBLICIDADE