PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Doria nomeia Rodrigo Maia para secretaria no governo de SP

19/08/2021 07h58

SÃO PAULO (Reuters) - O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), nomeou nesta quinta-feira o deputado federal Rodrigo Maia (sem partido-RJ) como secretário de Projetos e Ações Estratégicas da gestão paulista, informou o governo estadual em nota.

Em maio, Maia foi expulso do DEM após divergências com o presidente da legenda, o ex-prefeito de Salvador ACM Neto, por causa da posição de parte dos parlamentares do partido de apoiar Arthur Lira (PP-AL) para a sucessão de Maia na presidência da Câmara dos Deputados. O deputado fluminense apoiava a candidatura de Baleia Rossi (MDB-SP).

O partido decidiu expulsar Maia após ele chamar publicamente ACM Neto de "oportunista" e "sem caráter". O deputado atribui ao ex-prefeito a articulação em direção ao apoio a Lira, candidato apoiado pelo presidente Jair Bolsonaro, e que elegeu-se presidente da Casa.

Após o episódio, Doria convidou Maia para ingressar no PSDB e o vice-governador de São Paulo, Rodrigo Garcia, deixou o DEM e se filiou ao PSDB, tornando-se pré-candidato do partido ao governo paulista. Doria, que se quiser pode disputar a reeleição, concorrerá nas prévias tucanas que decidirão o candidato do partido ao Palácio do Planalto no ano que vem.

Maia, por sua vez, tem sido vinculado a uma possível filiação ao PSD, partido que recebeu o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, que também deixou o DEM.

Segundo a nota do governo de São Paulo, no novo cargo Maia será responsável por "agilizar os projetos de desestatização, acelerando as parcerias público-privadas e as concessões em andamento".

"A experiência do Rodrigo Maia à frente da Câmara fortaleceu nele a capacidade de dialogar com governos, sociedade civil e setor produtivo, com eficiência e credibilidade. Todas as reformas que passaram sob sua liderança só foram possíveis por causa do diálogo, do senso de urgência e do olhar estratégico de quem sabe o que é verdadeiramente importante para o país", disse Doria segundo a nota.

(Reportagem de Eduardo Simões)

PUBLICIDADE