PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

BOLSA EUA-Nasdaq fecha em máxima recorde após aprovação total de vacina nos EUA

23/08/2021 17h08

Por Stephen Culp

NOVA YORK (Reuters) - Os índices acionários de Wall Street tiveram um rali nesta segunda-feira, com o Nasdaq atingindo uma nova máxima recorde de fechamento, apoiados pela aprovação total concedida pela FDA a uma vacina contra Covid-19 e em meio a expectativas pelo simpósio de Jackson Hole, que acontecerá nesta semana.

Os três principais índices de ações dos Estados Unidos terminaram a sessão em forte alta, embora já no final do dia o S&P 500 não tenha conseguido segurar o que também teria sido uma máxima recorde de fechamento.

A alta nos preços do petróleo, guiada por expectativas de crescimento da demanda, levou os papéis de energia à liderança do mercado nesta segunda.

"Este tem sido o script o tempo todo", disse Peter Cardillo, economista-chefe de mercado da Spartan Capital Securities em Nova York. "Batemos novas máximas, retraímos, e então voltamos para a corrida mais uma vez."

"Isso me diz que os fundamentos estão no lugar", acrescentou Cardillo. "Há preocupações, mas é difícil manter este mercado em baixa."

A Administração de Alimentos e Medicamentos dos EUA (FDA, na sigla em inglês) concedeu aprovação total à vacina contra Covid-19 desenvolvida pela Pfizer em conjunto com a BioNTech, em movimento que pode acelerar o processo de imunização no país.

"A aprovação total significa que muito provavelmente haverá mais obrigatoriedades de vacinação, mais empresas vão exigir que você receba a vacina para voltar ao escritório", disse Cardillo. "Eu não acho que isso fará com que todos os céticos se vacinem, mas a notícia de hoje provavelmente levará a taxa de vacinação para mais perto de 75%."

As ações de Pfizer e BioNTech avançaram 2,5% e 9,6%, respectivamente.

Os papéis da rival Moderna saltaram 7,5%.

O índice Dow Jones subiu 0,61%, a 35.336 pontos, enquanto o S&P 500 ganhou 0,852382%, a 4.480 pontos. O índice de tecnologia Nasdaq avançou 1,55%, a 14.943 pontos.

(Reportagem adicional de Devik Jain, em Bengaluru)

PUBLICIDADE