PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Dólar sai de mínimas conforme mercado digere relatório de emprego dos EUA

03/09/2021 09h06

Por Luana Maria Benedito

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar chegou a ser negociado na casa dos 5,13 reais na manhã desta sexta-feira, antes de devolver boa parte dessas perdas à medida que os investidores digeriam os detalhes de um importante relatório de emprego dos Estados Unidos.

O Departamento do Trabalho norte-americano informou que foram criadas 235 mil vagas de trabalho na economia norte-americana em agosto, resultado muito abaixo da expectativa em pesquisa da Reuters de abertura de 728 mil.

Instantes após a divulgação dos números, a moeda norte-americana foi à mínima do dia de 5,1320 reais na venda contra a divisa brasileira, queda de 0,98%, acompanhando movimento global de desvalorização do dólar em meio a apostas de que o Federal Reserve manteria, por ora, seu forte estímulo à economia.

Mas a desvalorização intensa durou pouco, e às 11:35, o dólar recuava 0,05%, a 5,1805 reais na venda.

No exterior, o índice do dólar contra uma cesta de pares fortes reduzia suas perdas a 0,15%, a 92,089, depois de tocar uma mínima em 1 mês de 91,941 na esteira dos dados de emprego. Em Wall Street, os três principais índices acionários dos EUA abriram no vermelho. [.NPT]

"A criação de vagas no 'payroll' veio bem abaixo do esperado, mas, quando você analisa com atenção, vê que o reajuste salarial norte-americano veio bem acima das expectativas", explicou à Reuters Thomas Giuberti, sócio da Golden Investimentos.

A renda média por hora dos trabalhadores do setor privado dos EUA subiu 0,6% em agosto. A expectativa em pesquisa da Reuters era de alta de 0,3%.

"Isso significa que pode começar a ser questionado o quanto será transitória a inflação nos Estados Unidos", disse Giuberti, levantando também a possibilidade de que a desaceleração na abertura de vagas nos EUA leve o governo democrata no poder a intensificar seus gastos fiscais, o que poderia impulsionar a alta dos preços.

Sinais de inflação mais alta na maior economia do mundo tendem a elevar as apostas de que o Federal Reserve começará em breve a reduzir suas grandes compras mensais de títulos, o que, por sua vez, é visto como prejudicial para ativos arriscados.

PUBLICIDADE