PUBLICIDADE
IPCA
0,73 Dez.2021
Topo

CPFL vê cenário difícil para projetos rentáveis de geração ao mercado livre

14/12/2021 12h49

SÃO PAULO (Reuters) - A CPFL Energia continua buscando oportunidades de crescimento nas principais áreas do setor elétrico brasileiro, mas enxerga um cenário desafiador para viabilizar projetos rentáveis de geração renovável voltados ao mercado livre, disse nesta terça-feira o CEO da elétrica, Gustavo Estrella.

"Nossa visão é que, no modelo atual, olhando mais para o mercado livre, vai ter uma competição (entre geradores) que possivelmente vai pressionar preço no médio e longo prazo. Temos tido dificuldade de desenvolver projetos rentáveis de geração no cenário de hoje", afirmou, durante reunião virtual com investidores e analistas.

O executivo comentou ainda que a companhia continua interessada em alguns ativos da CEEE Geração, elétrica gaúcha que será privatizada e que é sócia da CPFL em usinas hidrelétricas.

"Vamos focar só nos ativos em que já temos participação, não temos interesse em olhar o ativo de forma consolidada", acrescentou.

Estrella disse que o nível atual de alavancagem da companhia é "confortável", permitindo que ela mantenha o plano de crescimento e também o compromisso com distribuição de dividendos.

A companhia também mira oportunidades no mercado de transmissão de energia, mas não participará do próximo leilão, marcado para a próxima sexta-feira.

Segundo Estrella, os lotes que serão oferecidos não são compatíveis com a estratégia do grupo no segmento.

EMPRÉSTIMO

Em relação ao novo empréstimo ao setor elétrico, autorizado via medida provisória publicada na véspera pelo governo, os executivos da CPFL observaram que ainda falta um decreto para detalhar quais itens poderão ser cobertos pela nova entrada de recursos às distribuidoras.

"Ainda não temos esses valores mapeados, não conseguimos antecipar a ordem de grandeza que pretendemos buscar junto a essa conta de escassez hídrica", afirmou Jairo Alvares, gerente de Regulação do Serviço e Estratégia Regulatória.

(Por Letícia Fucuchima)

PUBLICIDADE