PUBLICIDADE
IPCA
0,73 Dez.2021
Topo

Wall Street fecha em queda com inflação e Ômicron no radar dos investidores

14/12/2021 18h22

Por Shreyashi Sanyal e Noel Randewich

(Reuters) - Wall Street fechou em baixa nesta terça-feira depois que dados mostraram que os preços ao produtor subiram mais do que o esperado nos Estados Unidos em novembro, solidificando as expectativas de que o Federal Reserve (Fed, banco central norte-americano) anunciará esta semana uma redução mais rápida das suas compras de ativos.

A variante do coronavírus Ômicron, de rápida disseminação, também afetou o ânimo dos investidores depois que o índice S&P 500 marcou um recorde de fechamento no final da semana passada.

Os declínios foram liderados por ações relacionadas à tecnologia, com Salesforce.com, Microsoft Corp, Adobe e Alphabet Inc derrubando o S&P 500 e o Nasdaq.

A Apple Inc fechou em queda de 0,8%, mas acima das mínimas da sessão, depois que a fabricante do iPhone disse que exigirá que clientes e funcionários usem máscaras de proteção em suas lojas de varejo nos Estados Unidos.

O Dow Jones caiu 0,3%, para 35.544,18 pontos, enquanto o S&P 500 perdeu 0,75%, para 4.634,09 pontos.

O Nasdaq Composite recuou 1,14%, para 15.237,64 pontos.

Dados do Departamento de Trabalho mostraram que o índice de preços ao produtor (PPI, em inglês) nos 12 meses até novembro subiu 9,6%, seu maior ganho desde novembro de 2010, depois de um aumento de 8,8% em outubro.

"A Covid mais a inflação são o Grinch que roubou o Natal", disse Jake Dollarhide, CEO da Longbow Asset Management. "Não subestimo o fato de que alguns grandes nomes do Nasdaq estão desistindo de alguns de seus grandes ganhos. Quando os líderes estão sendo vendidos, não é um bom sinal."

Muitos investidores esperam que o banco central dos EUA sinalize uma redução mais rápida das compras de ativos e, portanto, um início mais cedo das elevações das taxas de juros, a fim de conter o rápido aumento dos preços.

"Eu diria que esta reunião é quando começamos a ter alguma clareza sobre como eles (o Fed) abordarão essa ideia de inflação que permaneceu elevada e muito provavelmente continuará sendo um problema no próximo ano", disse David Keller , estrategista-chefe de mercado da StockCharts.com.

Segundo pesquisa da Reuters, economistas esperam que o banco central eleve as taxas de juros de quase zero para 0,25% - 0,50% no terceiro trimestre do ano que vem, seguido por outro aumento no quarto trimestre.

PUBLICIDADE