PUBLICIDADE
IPCA
0,73 Dez.2021
Topo

Economia sugere reserva de R$2,9 bi para reajuste a servidores em 2022

O ministro da Economia, Paulo Guedes - Edu Andrade/ME
O ministro da Economia, Paulo Guedes Imagem: Edu Andrade/ME

16/12/2021 18h31Atualizada em 17/12/2021 08h36

BRASÍLIA (Reuters) - O Ministério da Economia enviou ao Congresso nesta quinta-feira um ofício com a sugestão de que sejam remanejados quase 2,9 bilhões de reais no Orçamento de 2022 com a finalidade de reajustar salários de algumas carreiras de servidores públicos.

Se a medida for acatada, deve ser atendido o pedido do presidente Jair Bolsonaro para conceder aumento a categorias específicas, como policiais federais e policiais rodoviários federais.

"Apresento sugestão de alteração do Projeto de Lei Orçamentária de 2022, tendo em vista a decisão do Presidente da República quanto à reestruturação de determinadas carreiras do Poder Executivo federal", diz o documento.

O pedido foi enviado ao relator do Orçamento de 2022, deputado Hugo Leal (PSD-RJ), e à presidente da Comissão Mista de Orçamento, senadora Rose de Freitas (MDB-ES).

A pasta ressalta que o acréscimo nas despesas primárias deve estar compatível com a meta fiscal para o ano e o limite estabelecido pela regra do teto de gastos.

Na quarta-feira, o ministro da Economia, Paulo Guedes, já havia indicado que atenderia ao pedido de Bolsonaro para beneficiar carreiras específicas.

"Tem que ser específico e limitado", disse.

Na mesma ocasião, o ministro se posicionou contra a concessão de aumentos generalizados, outra promessa feita anteriormente pelo presidente.

"Se começar todo mundo a pedir reajuste de salário de novo, todos os municípios, que melhoraram condições, todos os Estados e a União, que conseguiram se reequilibrar fiscalmente, todo mundo que se levantou vai começar a cair de novo, e aí vamos sustentar uma inflação", afirmou Guedes.

(Por Bernardo Caram)

PUBLICIDADE