PUBLICIDADE
IPCA
0,73 Dez.2021
Topo

Ibovespa acompanha alta no exterior e tem Ômicron no radar

27/12/2021 11h21

Por Andre Romani

SÃO PAULO (Reuters) - O principal índice acionário da bolsa brasileira subia nesta segunda-feira, após dois pregões negativos, em linha com desempenho dos principais índices futuros de ações nos Estados Unidos.

Mercados internacionais mantêm o avanço da variante Ômicron do coronavírus no radar, enquanto noticiário local continua enxuto. Bolsa deve seguir com liquidez baixa nas sessões que antecedem a virada do ano, assim como foi na semana passada.

Americanas era a principal contribuição positiva para o índice, enquanto Vale estava na ponta oposta.

Às 11:05, o Ibovespa subia 0,58%, a 105.479,51 pontos. O volume financeiro era de 2,4 bilhões de reais.

Os futuros de ações nos EUA avançavam nesta segunda-feira, diante da alta de papéis de tecnologia no pré-mercado, enquanto papéis de companhias aéreas caíam após cancelamentos de voos em meio à propagação da variante Ômicron do coronavírus. Bolsas também subiam na Europa.

As companhias aéreas norte-americanas suspenderem milhares de voos nos últimos dias, à medida que casos de Covid-19 forçaram as tripulações a se isolar. Quase 740 voos dentro, para ou dos EUA foram cancelados na manhã desta segunda-feira, mostrou uma contagem no site de rastreamento de voos FlightAware.com, somando a se mais de 3 mil voos suspensos durante o feriado prolongado de Natal.

No Brasil, mercado analisa dados e projeções para 2022. Economistas consultados pelo Banco Central reduziram suas estimativas para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) do país no ano que vem de 0,5% para 0,42%, enquanto para este ano houve revisão de 4,58% para 4,51%, segundo a pesquisa semanal Focus. Para a inflação, analistas reduziram projeção de 10,04% a 10,02% para 2021 e mantiveram em 5,03% para 2022.

O índice que mede a confiança da indústria no Brasil também revela cenário desafiador para o próximo ano, ao fechar 2021 com sua quinta queda consecutiva mensal em dezembro e no nível mais fraco desde agosto de 2020, segundo dados divulgados pela Fundação Getulio Vargas

DESTAQUES

- CIELO ON subia 5,2%, após conselho de administração da companhia aprovar pagamento de juros sobre capital próprio aos acionistas de 235,76 milhões de reais, segundo comunicado ao mercado.

- AMERICANAS ON tinha alta de 5,2%, MAGAZINE LUIZA ON subia 4,5% e VIA ON avançava 3,2%, em sessão positiva para varejistas. O conselho do Magazine Luiza ainda aprovou emissão de 2 bilhões de reais em debêntures.

- VALE ON caía 0,6%, CSN ON cedia 0,3%, USIMINAS PN recuava 0,1% e GERDAU PN tinha queda de 0,2%, diante de recuo dos futuros do minério de ferro na Ásia, após dados indicarem demanda fraca por aço e depois de ganhos da commodity na semana passada.

- CYRELA ON subia 4,7%, MRV ON tinha alta de 3,8%, enquanto operadoras de shoppings BR MALLS ON e MULTIPLAN ON avançavam 3,8% e 2%, respectivamente.

- ITAÚ UNIBANCO PN subia 0,7% e BRADESCO PN avançava 0,4%. Também no setor financeiro, B3 ON caía 0,4%.

- MARFRIG ON subia 1,1% e JBS ON tinha alta de 0,8%.

- PETROBRAS PN subia 0,4% e ON avançava 0,5%, mesmo com a queda dos preços do petróleo no mercado internacional, após cancelamento de viagens por empresas aéreas dos EUA.

- AZUL PN caía 0,4% e GOL PN recuava 0,2%, em meio à queda de papéis de companhias aéreas no pré-mercado nos EUA por conta de cancelamentos de voos com o recrudescimento da Covid-19, que vem se espalhando entre tripulantes e pilotos.

- ÔMEGA ENERGIA ON, que não está no Ibovespa, caía 4,3% em sua estreia na bolsa, após reorganização societária que resultou na incorporação da Ômega Geração pela Ômega Energia.

PUBLICIDADE