PUBLICIDADE
IPCA
0,47 Mai.2022
Topo

Novo ministro das Finanças da Turquia fala em postura heterodoxa no olho do furacão

17/01/2022 09h18

Por Orhan Coskun e Ali Kucukgocmen

ISTANBUL (Reuters) - Quando o novo ministro das Finanças da Turquia, Nureddin Nebati, foi questionado no mês passado sobre detalhes de uma iniciativa para conter o colapso da lira, ele encontrou uma nova maneira de explicar sua estratégia.

"Não vou dar um número agora", disse ele a um surpreso entrevistador da televisão. "Você pode olhar nos meus olhos? O que você vê? A economia é o brilho nos olhos."

Para um homem escolhido pelo presidente do país, Tayyip Erdogan, que vai supervisionar e articular sua política econômica pouco ortodoxa de reduzir os juros em meio à inflação em espiral ao tombo da moeda local, a resposta foi nada convencional.

Após seis semanas no cargo de maior destaque no gabinete de Erdogan, combinando as pastas de Finanças e do Tesouro, o ministro, de 58 anos, deixou os mercados perplexos com comentários sobre questões que vão desde as perspectivas de inflação até o Federal Reserve.

"Deixamos de lado as políticas ortodoxas, agora são as políticas heterodoxas", disse Nebati a empresários há duas semanas, referindo-se aos cortes de juros, que contrariam a teoria econômica dominante de que combater a inflação exige taxas de empréstimo mais altas, não mais baixas.

"Não seguiremos um caminho traçado para nós por outros, mas nosso próprio caminho", disse ele em um dos muitos discursos e entrevistas na televisão que fez desde que assumiu o cargo.

Críticos do governo, incluindo políticos da oposição e economistas estrangeiros, dizem que esse caminho é perigoso para a Turquia, e que Erdogan desequilibrou ainda mais os mercados ao nomear Nebati.

"Em vez de instaurar confiança na economia, você tomou medidas que petrificaram todo mundo", disse o líder do partido nacionalista IYI, Meral Aksener, dirigindo-se a Erdogan. "Enquanto nossa nação é atingida, o 'Cometa Nebati' que você trouxe ao leme da economia... fala descaradamente do 'brilho em seus olhos'."

Mesmo algumas fontes próximas ao governo expressaram preocupação, dizendo que a Turquia poderia ter escolhido uma figura mais próxima do mercado financeiro para administrar a economia num momento tão turbulento.

Nebati fez várias declarações surpreendentes desde sua nomeação, dizendo erroneamente que o Fed, o banco central dos EUA, é de propriedade de cinco famílias. Ele também disse que a Turquia entrou em um "círculo vicioso positivo".

Questionado sobre uma grande recuperação da lira depois que Erdogan anunciou no mês passado que os depósitos poderiam ser protegidos das flutuações cambiais, Nebati insistiu que as instituições estatais não tiveram nenhum papel na alta da divisa local, embora dados oficiais apontem para intervenções significativas em dezembro.

Nebati não foi encontrado para comentar, e um porta-voz do Ministério das Finanças não respondeu a perguntas sobre o papel do ministro. O gabinete de Erdogan não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.