PUBLICIDADE
IPCA
0,47 Mai.2022
Topo

Dólar avança ante real com aversão global a risco; mercado avalia sanção do Orçamento de 2022

24/01/2022 09h12

Por Luana Maria Benedito

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar subia frente ao real nesta segunda-feira, com receios sobre possível ataque russo à Ucrânia afastando investidores de todo o mundo do risco, em início de semana marcada pela primeira reunião de política monetária de 2022 do Federal Reserve.

Às 9:56 (de Brasília), o dólar à vista avançava 0,32%, a 5,4755 reais na venda, depois de chegar a tocar 5,4911 reais no pico da sessão (+0,61%).

Na B3, às 9:56 (de Brasília), o contrato de dólar futuro de primeiro vencimento subia 0,20%, a 5,4845 reais.

"Ativos de risco voltaram a operar em tom predominantemente negativo nesta segunda-feira", disse em relatório Victor Beyruti, economista da Guide Investimentos. "Os mercados globais estão ensaiando dar sequência à onda de maior aversão ao risco que caracterizou a semana passada, com investidores à espera da primeira decisão de política monetária do Fed do ano."

No exterior, o índice do dólar contra uma cesta de seis pares fortes subia 0,30%, com investidores apostando em pelo menos quatro aumentos de juros na maior economia do mundo ao longo deste ano, à medida que o Federal Reserve endurece sua conduta no combate à inflação elevada.

Custos mais altos de empréstimos nos EUA tendem a beneficiar a moeda norte-americana, uma vez que elevam a rentabilidade da extremamente segura renda fixa local.

O Fed encerra seu encontro de política monetária de dois dias na quarta-feira.

Elevando a busca pela segurança do dólar, investidores mostravam preocupação cada vez maior com a concentração de tropas russas na fronteira com a Ucrânia, já que as tensões aumentaram nos últimos dias. O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, está considerando aumentar os ativos militares na Europa Oriental, depois de ter ordenado a retirada das famílias de diplomatas de Kiev.

"A tensão geopolítica entre Ucrânia e Rússia começa a afetar o apetite por risco e também contribui para o movimento de hoje dos mercados", disseram economistas do Bradesco em relatório.

No Brasil, o mercado avaliava os detalhes da sanção com vetos parciais do Orçamento de 2022 pelo presidente Jair Bolsonaro, com a previsão de 1,7 bilhão de reais para reajustes de servidores públicos e 4,9 bilhões de reais para alimentar o fundo eleitoral.

Apesar da alta desta manhã, o dólar está bem abaixo de patamares acima de 5,70 atingidos no início deste mês, acumulando baixa de cerca de 1,8% até agora em 2022.

Especialistas do Citi afirmaram em relatório desta segunda-feira que atribuem esse arrefecimento recente do dólar a "ajustes no posicionamento de clientes 'offshore', que têm ficado mais otimistas em relação ao real". Além disso, eles citaram reação positiva do mercado a acenos recentes do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) --líder nas pesquisas de intenção de voto para as eleições de outubro-- a partidos mais à direita.

O dólar spot fechou a última sessão, na sexta-feira, em alta de 0,75%, a 5,4579 reais na venda.

Neste pregão, o Banco Central fará leilão de venda conjugado com leilão de compra de moeda estrangeira no mercado interbancário, na modalidade pós-fixado Selic, para fins de rolagem do vencimento de 2 de fevereiro de 2022.

O BC também fará leilão de até 17 mil contratos de swap cambial tradicional para rolagem do vencimento de 2 de março de 2022.