PUBLICIDADE
IPCA
0,47 Mai.2022
Topo

Ibovespa sobe diante de alta em NY e com ofertas de ações em foco

27/01/2022 13h02

Por Andre Romani

SÃO PAULO (Reuters) - O principal índice da bolsa brasileira subia nesta quinta-feira, estendendo ganhos pelo terceiro pregão consecutivo, em meio a sessão positiva nos Estados Unidos. Na cena local, anúncio e precificação de ofertas de ações movimentam o dia.

O avanço das bolsas ocorre após postura dura do Federal Reserve na véspera quanto à inflação, o que impulsionou apostas de cinco elevações de juros nos EUA em 2022, e divulgação de dado acima do esperado da atividade econômica norte-americana nesta manhã.

Ações de bancos e da Petrobras davam impulso ao índice local, enquanto algumas empresas do setor de saúde cediam.

Às 12h43, o Ibovespa <.BVSP. subia 1,2%, a 112.635,32 pontos. O volume financeiro era de 14,1 bilhões de reais.

Os mercados de ações dos EUA recuperavam o terreno perdido na véspera com o efeito da decisão do banco central norte-americano.

O Fed indicou que provavelmente aumentará as taxas de juros do país em março e reafirmou planos de encerrar suas compras de títulos naquele mês, também no que o presidente da instituição, Jerome Powell, prometeu que será uma luta determinada para domar a inflação.

Subsequentes aumentos nas taxas de juros e uma eventual redução nas participações de ativos pelo Fed seguiriam conforme necessário, disse Powell. O discurso levou a curva de juros dos EUA a precificar quase cinco altas nas taxas em 2022, contra apenas quatro anteriormente, pesando nos mercados acionários.

Nesta manhã, porém, o humor das bolsas nos EUA melhorou, especialmente após o anúncio de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) a uma taxa anualizada de 6,9% no último trimestre, informou o Departamento de Comércio em sua estimativa preliminar do PIB. A expectativa de economistas consultados em pesquisa da Reuters era mais tímida, de 5,5%.

O Ibovespa acompanhava a alta dos três principais índices de ações norte-americanos, mas em ritmo menos volátil do que Wall Street.

Na cena local, o noticiário de ofertas de ações chama a atenção, com expectativa para precificação do follow-on da Braskem, e após o anúncio de captações por Equatorial e Arezzo, que não faz parte do Ibovespa.

Os desenrolares ao redor da potencial Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que pretende modificar tributos sobre combustíveis também seguem no radar do mercado.

DESTAQUES

- VALE ON operava estável, enquanto siderúrgicas não tinham direção única, após o preço do minério de ferro subir em Dalian com expectativa por demanda robusta na China quando as restrições à produção de aço forem afrouxadas após as Olimpíadas de Inverno de Pequim, no próximo mês.

- PETROBRAS PN e ON subiam 1,2% e 1%, respectivamente, com o preço do petróleo estendendo alta após atingir maior patamar em sete anos, diante de crise geopolítica na Ucrânia e seus efeitos na oferta.

- SANTANDER BRASIL UNIT subia 3,7% e BANCO DO BRASIL ON avançava 2%, enquanto ITAÚ UNIBANCO PN tinha alta de 0,6% e BRADESCO PN ganhava 0,9%.

- INTER UNIT e LOCAWEB ON avançavam 7,7% cada e BANCO PAN PN ganhava 5,8%.

- INTERMÉDICA ON recuava 4,4%, enquanto a HAPVIDA ON cedia 4,6%. Movimento ocorre após leilão de ações da Intermédica pela manhã. Segundo o aviso de início do leilão, um acionista estava vendendo 18 milhões de ações da companhia. As duas empresas estão em processo final da combinação de negócios.

- BRASKEM PNA caía 3,5%. A precificação da oferta subsequente de ações da companhia, na qual Petrobras e Novonor devem vender suas participações na petroquímica, é esperada para esta quinta-feira.

- EQUATORIAL ON subia 1,3%, após lançar oferta primária de ações para financiar a aquisição da Echoenergia. Considerando o preço de fechamento na quarta-feira, a operação poderia levantar até 2,62 bilhões de reais.

- AREZZO ON, que não está no Ibovespa, caía 3,5%, após anunciar oferta primária subsequente de ações que pode levantar até 830 milhões de reais.