PUBLICIDADE
IPCA
1,06 Abr.2022
Topo

Futuros de aço chinês registram ganhos semanais em meio a esperanças de demanda

11/02/2022 07h44

PEQUIM (Reuters) - Os futuros do aço chinês fecharam quase estáveis após subirem mais de 2% nesta sexta-feira, mas registraram alta semanal na esperança de que estímulos da política elevassem a demanda.

Os novos empréstimos bancários do país mais do que triplicaram em janeiro em relação ao mês anterior para um recorde, enquanto o crescimento do financiamento social total em circulação acelerou para uma alta de seis meses, à medida que as autoridades buscam sustentar o crescimento econômico em desaceleração.

"O financiamento social melhor do que o esperado confirma, por outro lado, que a construção de infraestrutura está acelerando", disseram analistas da Galaxy Futures em nota. "A mosca na pomada é que o mercado imobiliário ainda não se recuperou."

O vergalhão de aço usado para construção na bolsa de Xangai, para entrega em maio, ficou em 4.905 iuanes (771,08 dólares) a tonelada. O contrato havia subido até 2,6% no início da sessão. Na semana, ganhou 1,6%.

Os futuros de bobinas a quente fecharam em alta de 0,1% a 5.033 iuanes (791,20 dólares) por tonelada e registraram ganho semanal de 1,8%.

Os futuros de aço inoxidável de Xangai, para entrega em março, ficaram inalterados em 18.300 iuanes (2.876,82 dólares) a tonelada.

A Baoshan Iron & Steel, maior produtora de aço listada na China, elevou seus preços futuros para entrega em março para produtos laminados a quente e laminados a frio em 350 iuanes e 300 iuanes por tonelada, respectivamente.

Os preços dos ingredientes siderúrgicos na bolsa de Dalian também subiram.

Os futuros de carvão metalúrgico de Dalian saltaram 1,5%, para 2.352 iuanes por tonelada, e os preços do coque avançaram 2,4%, para 3.095 iuanes por tonelada.

Os futuros de minério de ferro de referência subiram 5,9%, para 850 iuanes por tonelada, antes de cair na sessão da tarde para fechar a 805 iuanes por tonelada. Eles caíram 2,9% nesta semana.

(Por Min Zhang em Pequim e Enrico Dela Cruz em Manila)