PUBLICIDADE
IPCA
1,06 Abr.2022
Topo

Ibovespa sobe 2% com apoio de NY após alta de juros nos EUA

16/03/2022 17h59

SÃO PAULO (Reuters) - O principal índice da bolsa brasileira subiu forte nesta quarta-feira, acompanhando Wall Street, após o Federal Reserve elevar os juros nos Estados Unidos. O mercado local aguarda decisão de política monetária do Banco Central.

Ações de commodities metálicas e do setor financeiro avançaram, enquanto Petrobras cedeu.

O Ibovespa subiu 1,98%, a 111.112,43 pontos, após quatro baixas seguidas. O volume financeiro da sessão foi de 44,2 bilhões de reais, em dia de vencimento de opções de índice.

O Fed, banco central norte-americano, subiu o juro em 0,25 ponto percentual nos EUA, para a faixa entre 0,25% e 0,50%, medida amplamente esperado pelo mercado. A decisão foi por 8 a 1 entre os membros do colegiado. A instituição projetou que sua taxa básica atingirá o intervalo de 1,75% a 2% até o fim do ano, o que indica no mínimo seis altas de 0,25pp.

Além disso, o Fed afirmou que espera começar a reduzir seu balanço de quase 9 trilhões de dólares "em uma próxima reunião".

A reação inicial ao comunicado nas bolsas foi negativa e o Ibovespa chegou a devolver quase toda sua alta, até então de mais de 1%, mas recuperou-se e acelerou ganhos posteriormente em meio à fala de Jerome Powell, presidente do Fed.

Powell disse que os detalhes da redução do balanço podem ser finalizados na próxima reunião de política monetária, em maio, e afirmou que a economia do país está forte o suficiente para uma redução nas compras de ativos.

Para Roberto Motta, chefe da mesa de derivativos da Genial, "Powell acalmou o mercado quando falou que a economia está forte o suficiente" para suportar o início do ciclo de alta de juros, após comunicado "mais duro" que o esperado quanto à inflação.

O humor era positivo nos mercados já antes da decisão do Fed, diante da declaração do presidente ucraniano de que as negociações com a Rússia estão se tornando "mais realistas", enquanto o ministro das Relações Exteriores russo afirmou que há "alguma esperança de compromisso".

Os principais índices de ações em Wall Street dispararam, com destaque para o Nasdaq, com salto de 3,8%.

Investidores esperavam agora pela divulgação ainda nesta quarta-feira da decisão do Banco Central brasileiro, com expectativa majoritária no mercado de alta de 1 ponto percentual da Selic, o que a levaria para 11,75% ao ano.

DESTAQUES

- VALE ON subiu 2,4%, após contratos de minério de ferro na Ásia avançarem de uma mínima em duas semanas, com impulso de indicações positivas do governo chinês ao mercado e sobre a economia do país. CSN ON liderou ganhos de siderúrgicas com alta de 2,4%. O níquel voltou a ser negociado na bolsa de Londres, mas com interrupção e poucos negócios.

- CVC BRASIL ON disparou 17,2%, maior alta desde junho de 2020. A empresa teve prejuízo líquido de 145,8 milhões de reais de outubro e dezembro, mas a receita líquida quase dobrou. O BTG Pactual viu "sinais encorajadores de recuperação e uma tendência de melhor rentabilidade", mesmo com os impactos da pandemia e de incidente cibernético. As novas lojas da empresa estão com vendas 20% acima do esperado, disse o presidente da CVC em conferência com analistas.

- PETROBRAS PN caiu 0,9% e a ação ON subiu 0,1%, reagindo no final do pregão, mesmo diante da queda do petróleo Brent, e da declaração do presidente Jair Bolsonaro de que "existe a possibilidade" de substituição do atual presidente da estatal, Joaquim Silva e Luna.

- YDUQS ON afundou 10,5%, maior baixa desde março de 2020, após uma piora no resultado financeiro do grupo de educação levar a um lucro de quase zero no quarto trimestre, bem mais fraco do que o esperado por analistas. A empresa também anunciou a renúncia de seu vice-presidente financeiro. COGNA ON perdeu 1,4%.

- PETZ ON subiu 4,3% antes de divulgar balanço. BRASKEM PNA e MRV ON, que também anunciam resultados à noite, valorizaram-se 1,5% e 2,8%, respectivamente.

- LOCAWEB ON subiu 10,3% e INTER UNIT avançou 9,9%.

(Por Andre Romani)