PUBLICIDADE
IPCA
1,06 Abr.2022
Topo

Wall St fecha em alta após Fed subir juros e sinalizar mais aumentos

16/03/2022 17h16

Por Sinéad Carew e Devik Jain e Bansari Mayur Kamdar

(Reuters) - O índice S&P 500 fechou em alta de mais de 2%, enquanto o índice de tecnologia Nasdaq saltou quase 4% nesta quarta-feira, com investidores minimizando nervosismo após o aumento da taxa de juros pelo banco central norte-americano e seu sinal de que mais elevações seriam necessárias para combater a inflação, o que encerra a política monetária flexível adotada no início da pandemia.

O índice S&P 500 fechou em alta de 2,24%, a 4.357,86 pontos. O Dow Jones subiu 1,55%, a 34.063,10 pontos. O índice de tecnologia Nasdaq Composite avançou 3,77%, a 13.436,55 pontos.

O banco central dos Estados Unidos anunciou um aumento de 0,25 ponto percentual em sua taxa básica de juros, como amplamente esperado, mas a projeção de que sua taxa atingiria entre 1,75% e 2% até o fim do ano foi mais "hawkish" (agressiva contra a inflação) do que alguns esperavam.

Embora tenha destacado a enorme incerteza que a economia enfrenta com a guerra entre Rússia e Ucrânia e a atual crise da Covid-19, o Fed disse que "aumentos contínuos" nos juros "serão apropriados" para conter a inflação mais alta em 40 anos.

Embora as ações tenham devolvido ganhos obtidos mais cedo e o S&P 500 e o Dow Jones tenham mergulhado no vermelho brevemente após a divulgação do comunicado do banco central, os índices se estabilizaram quando o chair do Fed, Jerome Powell, começou a falar em coletiva de imprensa.

Jim Paulsen, estrategista-chefe de investimentos do The Leuthold Group em Minneapolis, disse que investidores podem ter se sentido aliviados por um entendimento de que o banco central está tomando medidas contra o aumento da inflação.

"Ouvir o Fed finalmente 'dizer e agir' para combater a inflação acalma um pouco a comunidade de investimentos e a Main Street (economia real), que lutam com a inflação mais alta", disse ele.

Mas outros analistas de mercado se mostraram preocupados com o risco de que o aumento agressivo dos juros poderia fazer a economia derrapar.

"Parece um Fed que pretende causar recessão para acabar com o problema da inflação, e isso é tão míope quanto chamar a inflação de transitória há um ano", afirmou Scott Ladner, diretor de investimentos da Horizon Investments, Charlotte, Carolina do Norte.

Joseph LaVorgna, economista-chefe para as Américas da Natixis em Nova York, também se mostrou cético.

"Eles vão tentar ser agressivos aqui no aumento das taxas. Desejo boa sorte a Jay Powell e companhia, porque eles não chegarão nem perto do que pensam, a menos que estejam dispostos a fazer muitas pessoas serem demitidas, porque é isso que vai acontecer. Porque vamos ter uma recessão. Esta é uma previsão de recessão", disse ele.

"Eu simplesmente não vejo o Fed sendo capaz de projetar esse tipo de aperto (monetário) para o que agora é a destruição da demanda inflacionária."

((Tradução Redação São Paulo, 55 11 56447757)) REUTERS JCG VB JCG