PUBLICIDADE
IPCA
1,06 Abr.2022
Topo

GM tem mais de uma resposta para crise na oferta de peças, diz presidente

21/03/2022 14h01

Por Joseph White

DETROIT, EUA (Reuters) - O presidente da General Motors, Mark Reuss, disse nesta segunda-feira estar confiante com as perspectivas para 2022 e os planos de acelerar o lançamento de um novo Cadillac elétrico, apesar de crescentes temores com a cadeia de suprimentos global.

Os riscos geopolíticos impostos às cadeias de suprimentos automotivas pela guerra na Ucrânia são reais, disse Reuss em uma teleconferência. Mas a GM está administrando a pressão e avança com seus planos para acelerar os lançamentos de novos veículos elétricos, como o Cadillac Lyriq, disse ele.

"Não somos novos neste jogo", disse Reuss. A GM tem contratos de longo prazo para materiais e múltiplas fontes de fornecimento, disse ele.

Reuss disse que a GM não mudou sua projeção financeira para 2022, com estimativa de lucro operacional de 13 bilhões a 15 bilhões de dólares, após um lucro operacional recorde de 14,3 bilhões de dólares em 2021.

Algumas montadoras rivais aumentaram os preços de seus veículos elétricos ou alertaram que as projeções financeiras para 2022 estão em risco, diante das cotações mais altas do petróleo e elevação nos preços de materiais como alumínio, neônio e níquel, atingidos pelas sanções ocidentais à Rússia.

A GM lançou formalmente nesta segunda-feira a produção de seu utilitário elétrico Cadillac Lyriq no Estado norte-americano do Tennessee. O Lyriq competirá com o Tesla Model Y, um dos produtos mais vendidos da Tesla.

Reuss e outros executivos da GM disseram que o interesse do consumidor no Lyriq está mais forte do que o esperado, com mais de 240 mil pessoas já tendo manifestado interesse.

A Cadillac permitirá que os clientes façam pedidos firmes para o Lyriq 2023 a partir de 19 de maio.

Reuss disse que a fábrica terá peças e materiais necessários para aumentar a produção do veículo e pode construir até 200 mil Lyriqs por ano. Mas ele afirmou que a fábrica também precisa continuar fabricando SUVs com motor a combustão, além de economizar espaço para outros modelos elétricos.

(Por Joe White)