PUBLICIDADE
IPCA
1,06 Abr.2022
Topo

Ibovespa interrompe sequência de altas pressionado por Petrobras

28/03/2022 17h57

SÃO PAULO (Reuters) - O principal índice da bolsa brasileira caiu nesta segunda-feira, com a queda do petróleo aliada a um movimento de correção em ativos domésticos, após oito altas consecutivas, enquanto o avanço em Wall Street ajudou a limitar perdas.

Ações da Petrobras cederam diante da baixa vertiginosa nas cotações do petróleo, com após novas restrições contra Covid-19 na China. Além disso, no fim da tarde, notícia sobre potencial interferência do presidente Jair Bolsonaro na companhia pressionou ainda mais os papéis.

Frigoríficos estiveram entre os destaques de alta.

O Ibovespa caiu 0,29%, a 118.737,78 pontos. O volume financeiro da sessão foi de 22,5 bilhões de reais - nas últimas cinco sessões, o montante havia ficado entre cerca de 26 bilhões e pouco mais de 30 bilhões de reais.

Stefany Oliveira, chefe de análise de trading na Toro Investimentos, diz que o Ibovespa não teve direção única, mas prevalecendo um movimento de correção após consecutivos ganhos.

"Até para que o movimento comprador continue, precisamos ver um cenário de correção. Se essa correção não acontecer e o Ibovespa andar de lado, isso prejudica o mercado comprador", disse ela. O dólar subiu ante o real, também interrompendo sequência de quedas, enquanto os principais contratos de juros futuros voltaram a recuar.

Em Nova York, o Nasdaq avançou 1,3%, liderando alta entre os principais índices acionários.

O mercado aguarda para terça-feira, na Turquia, a primeira reunião presencial em mais de duas semanas entre representantes de Ucrânia e Rússia. Apesar dessa sinalização, um oficial sênior dos Estados Unidos disse que o presidente da Rússia, Vladimir Putin, não parece pronto para fazer concessões, enquanto representantes da Ucrânia também não esperam grandes avanços.

Além disso, o mercado aguarda por dado de emprego nos EUA nesta semana, que pode ajudar a calibrar apostas para o aperto monetário no país.

DESTAQUES

- PETROBRAS PN caiu 2,2%, em meio à queda de quase 7% do petróleo Brent, com temores de menor demanda na China na esteira de restrições em Xangai por Covid-19. Além disso, o presidente Jair Bolsonaro decidiu que Joaquim Silva e Luna não deve continuar como presidente da Petrobras, disseram duas fontes a par da situação à Reuters. A ação acelerou a queda após a notícia inicial de que Bolsonaro decidiu tirar Luna, divulgada pela Veja, mas recuperou-se parcialmente.

- VALE ON teve dia volátil e subiu 0,1%, com o minério de ferro subindo à máxima de sete meses na China, após injeção de recursos pelo governo para garantir liquidez nos mercados, contrapondo o pessimismo com maiores restrições por Covid-19 em Xangai. A mineradora disse que acordos individuais pelo caso de Brumadinho superam 3 bilhões de reais.

- MARFRIG subiu 4% e BRF avançou 2,3%. O setor teve sessão positiva, com altas de 1,6% da JBS e de 3,7% de MINERVA, em meio à alta do dólar, o que beneficia empresas com operações no exterior.

- SANTANDER BRASIL UNIT teve queda de 1,5% e liderou perdas entre os grandes bancos.

- LOCAWEB ON cedeu 4,6%, após o Bradesco BBI rebaixar a recomendação da ação de "outperform" para "underperform". A companhia divulgou resultados trimestrais na passada. O Bradesco BBI previu que as margens da Locaweb vão se recuperar apenas em 2023.

- ENAUTA ON, que não está no Ibovespa, caiu 5,9% depois de informar que não foi constatada a ocorrência de hidrocarbonetos no poço exploratório 1-EMEB-3-SES.

- RESTOQUE ON saltou 16,3%, após o Brazil Journal publicar que credores da varejista de vestuário propuseram uma troca de dívida por ações envolvendo 1,5 bilhão de reais.

(Por Andre Romani)