PUBLICIDADE
IPCA
1,06 Abr.2022
Topo

Lucro da Vale cai 19,6% no 1º tri; dívida dispara com efeitos cambiais

27/04/2022 18h44

Por Nayara Figueiredo e Roberto Samora

SÃO PAULO (Reuters) -A mineradora Vale teve lucro líquido de 4,5 bilhões de dólares no primeiro trimestre de 2022, uma queda de 19,6% em relação ao mesmo período do ano anterior, em meio a preços e vendas mais baixas de sua principal commodity, o minério de ferro, informou a empresa nesta quarta-feira.

A companhia ainda informou um aumento de 4,3 bilhões de dólares na dívida líquida expandida, na variação trimestral, para 19,37 bilhões de dólares, principalmente devido ao efeito da valorização do real sobre os compromissos denominados em moeda local.

O câmbio no trimestre também foi vilão no valor agregado das provisões para reparações do desastre de Brumadinho (MG), que aumentaram em 1,2 bilhão de dólares para 8,267 bilhões de dólares.

"Apesar do trimestre desafiador em nossas operações, estamos no caminho certo para cumprir nossos compromissos para 2022", disse o presidente da Vale, Eduardo Bartolomeo, em nota.

Na semana passada, a mineradora já havia reportado queda de 6% na sua produção de minério de ferro, com um recuo ainda maior no volume de vendas, de quase 10%, ante o mesmo período de 2021.

Bartolomeo citou fortes chuvas em Minas Gerais, atrasos de licenciamento no Norte e desempenho abaixo do esperado em alguns ativos.

"No entanto, aproveitamos os volumes sazonalmente menores para realizar atividades de manutenção que nos levarão a operações mais seguras e produção sólida à frente", destacou.

Ele disse estar "confiante" na perspectiva dos negócios, ao destacar um terceiro programa de recompra, "como uma alavanca adicional de geração de valor para nossos acionistas".

REVISÃO DA ALAVANCAGEM

Em meio a um crescimento da dívida motivado por fatores cambiais, a Vale disse que durante este trimestre revisou e aprovou no Conselho de Administração uma mudança em sua "alavancagem ótima" de 15 bilhões de dólares para um intervalo entre 10 bilhões e 20 bilhões de dólares, "sob o conceito de dívida líquida expandida".

"Essa decisão reflete a gestão proativa do passivo realizado nos últimos meses sem amortizações financeiras relevantes até 2024, um aumento sustentável em nossa capacidade de produção e uma gestão de custos e investimentos muito disciplinada", destacou.

Apesar da redução no trimestre, o lucro líquido veio um pouco acima da média projetada por analistas consultados em pesquisa da Refinitiv, que indicava 4,24 bilhões de dólares.

A receita total de vendas líquidas da empresa atingiu 10,8 bilhões de dólares no trimestre, versus 12,55 bilhões obtidos um ano antes.

Já o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado atingiu 6,37 bilhões de dólares nos três primeiros meses do ano, contra 8,6 bilhões vistos em igual período de 2021. A projeção do mercado para o Ebitda era de 6,68 bilhões de dólares.

Segundo a companhia, o preço realizado de finos de minério de ferro (CFR/FOB) saiu de 157,2 dólares por tonelada métrica no primeiro trimestre de 2021 para 141,4 dólares nos três primeiros meses deste ano.

Mas houve uma recuperação no preço realizado do minério de ferro na comparação com o quarto trimestre de 2021 (107,2 dólares/tonelada).

Ainda assim, na comparação com o último trimestre do ano passado, o lucro caiu 17,8%, a receita de vendas baixou 17,5% e o Ebitda recuou 7%, de acordo com o balanço financeiro.

A Vale disse que os principais fatores que contribuíram para o desempenho do trimestre ante os últimos três meses de 2021 foram o menor volume de vendas de minério de ferro e pelotas, principalmente devido à intensa estação chuvosa no início deste ano e o desempenho mais fraco do Sistema Norte --com impacto de 2,192 bilhões de dólares.