PUBLICIDADE
IPCA
1,06 Abr.2022
Topo

Omega fornecerá energia renovável ao complexo paulistano Cidade Matarazzo

29/04/2022 12h39

SÃO PAULO (Reuters) - A Omega Energia fechou um acordo de longo prazo para fornecer energia renovável para o Cidade Matarazzo, projeto imobiliário que está restaurando construções centenárias da capital paulista para abrigar um hotel de luxo e espaços comerciais e culturais.

O acordo assinado com as incorporadoras BM Empreendimentos e Varejo prevê o fornecimento de 3 megawatts (MW) médios de energia renovável ao projeto, a partir de 2023, pelo prazo de um 15 anos. O valor do contrato não foi revelado.

Segundo a diretora comercial da Omega, Fabiana Polido, a geradora atenderá ao Cidade Matarazzo, um consumidor de energia de médio porte, por meio de seu portfólio integrado de usinas eólicas, solares e hídricas, que soma 1.869 MW de capacidade instalada operacional.

A companhia tem ainda outros 455 MW em construção, que devem estar operacionais até 2023, quando se inicia o fornecimento de energia deste e outros contratos recentemente assinados com empresas como Heineken e Ingredion.

Polido disse ainda que a Omega vai prover ao Cidade Matarazzo os chamados "RECs", certificados que comprovam que o megawatt-hora consumido foi gerado por uma fonte renovável de energia.

Em posse dos certificados, o consumidor consegue abater as emissões de escopo 2 --emissões indiretas de gases de efeito estufa causadas pelo consumo de energia--, o que está alinhado ao conceito de "reciclagem urbana" e sustentabilidade do complexo, disse a executiva.

As empresas calculam que a contratação de energia renovável evitará a emissão de 46,5 mil toneladas de CO2 ao longo de 15 anos.

A Omega, que passou recentemente por uma ampla reestruturação para fortalecer seu crescimento, tem identificado cada vez mais demanda por nova contratação de energia renovável, em meio à busca por redução de custos e à maior preocupação com a agenda ambiental.

"Todos os setores estão buscando (acordos), pela questão de competitividade, pela agenda ESG envolvida", ressaltou.

Ainda de acordo com ela, a geradora tem visto uma movimentação positiva entre consumidores de energia de pequeno porte, classificados como "varejo" do setor elétrico. A Omega lançou uma plataforma digital para atender a esse nicho de mercado em 2020 e, desde então, o produto vem crescendo em importância para a empresa, disse.

"Neste ano, conseguimos fechar (em operações) em três meses o que fizemos em seis meses no ano passado. Tem mais procura, tem uma força de vendas".

(Por Letícia Fucuchima)