PUBLICIDADE
IPCA
1,06 Abr.2022
Topo

Ibovespa sobe com NY após Powell descartar alta de 0,75 ponto no juro dos EUA

04/05/2022 18h05

Por Andre Romani

SÃO PAULO (Reuters) - O principal índice da bolsa brasileira avançou nesta quarta-feira, disparando junto com Wall Street após o presidente do banco central norte-americano, Jerome Powell, dizer que a instituição não considera ativamente uma alta de 0,75 ponto percentual nos juros para segurar a inflação.

O Federal Reserve (Fed), como esperado, elevou o juro básico em 0,5 ponto percentual e indicou o início da redução de sua carteira de títulos no próximo mês.

Os investidores ainda esperam que o Banco Central no Brasil eleve nesta noite a Selic em 1 ponto percentual e por sinais de quando o BC encerrará o ciclo de aperto monetário.

Petrobras foi a maior contribuição positiva ao índice, na esteira da alta do preço do petróleo e em meio à expectativa de resultados. Vale e frigoríficos caíram na ponta oposta.

O Ibovespa subiu 1,7%, a 108.343,74 pontos, após três baixas seguidas. O giro financeiro da sessão foi de 25,6 bilhões de reais.

O índice vinha com queda mais cedo, quase zerando ganhos de 2022, mas virou para o positivo com o discurso de Powell.

"Foi um discurso mais 'dovish' (suave) do que o mercado estava esperando. Dado o alto nível de inflação, o mercado achava que Fed podia vir com alguma alta de 0,75 ponto em alguma reunião à frente. E, por ora, ele descartou essa possibilidade", disse Welliam Wang, head de renda variável na AZ Quest.

Continuamos muito cautelosos com bolsa, disse ele, avaliando ser difícil para o Fed segurar a inflação sem causar recessão, embora a queda recente das ações possa limitar a intensidade do impacto no mercado. Ainda assim, disse o gestor, "no curto prazo, há esse ambiente mais líquido, um pouco menos duro".

Ações, em geral, beneficiam-se de altas menos intensas nos juros, porque aperto monetário tira liquidez dos mercados amplia o custo de capital das empresas.

DESTAQUES

- PETROBRAS PN disparou 6%, com alta de quase 5% do petróleo Brent, após a União Europeia propor embargo faseado ao petróleo russo e refinados da matéria-prima. A medida precisa ser aprovada pelos membros do bloco. 3R PETROLEUM ON avançou 4,7%, após resultados do primeiro trimestre. PETRORIO ON ganhou 5,8% antes de publicar seus números à noite. A Petrobras divulga balanço na quinta-feira.

- MARFRIG ON desabou 7,8%, quinta baixa seguida, após o frigorífico anunciar queda de 61% no lucro líquido no primeiro trimestre ano a ano, pressionado pelo aporte na BRF, ainda que o resultado operacional tenha sido recorde para o período. A rival JBS ON cedeu 3%.

- MAGAZINE LUIZA ON saltou 7,6%, AMERICANAS ON ganhou 7,5% e VIA ON registrou alta de 5,6%, com varejistas beneficiadas pela fala de Powell. GPA ON aumentou 7,5%. MÉLIUZ ON cresceu 7,3% e INTER UNIT exibiu acréscimo de 5,8%.

- VALE ON teve queda de 0,8%, enquanto siderúrgicas fecharam sem direção única.

- XP desabou 7,5% em Nova York, após cair até 18,6%, diante de desaceleração no lucro no primeiro trimestre, com menor crescimento da base de clientes e da captação líquida. Os negócios foram afetados pelos efeitos da Covid-19 e da invasão da Ucrânia pela Rússia. O Citi destacou receita menor do que a esperada.

- ITAÚ UNIBANCO PN perdeu 0,1% e destoou de alta firme de grandes bancos.

- TIM subiu 1,5%. A operadora de telecomunicações teve alta de 46,4% no lucro líquido do primeiro trimestre frente a um ano antes. A empresa ainda disse que espera quase dobrar o patamar de dividendos em 2022 e seus executivos afirmaram que o foco será em 5G a partir de 2023.

- RAIA DROGASIL ON avançou 0,6%. A rede de farmácias reportou queda de 18% no lucro líquido ajustado do primeiro trimestre na base anual.

- CIELO ON fechou estável e IGUATEMI UNIT valorizou-se 1,4%. As companhias também divulgaram resultados trimestrais na véspera.

(Por Andre Romani)