PUBLICIDADE
IPCA
1,06 Abr.2022
Topo

BB turbina lucro do 1º tri, com mais empréstimos e provisões controladas

11/05/2022 19h33

(Texto atualizado com mais informações)

Por Aluisio Alves

SÃO PAULO (Reuters) - O Banco do Brasil teve lucro acima das estimativas do mercado para o primeiro trimestre, ao entregar uma combinação de crescimento do crédito e provisões para perdas com calotes melhor do que o que ele próprio previa.

O banco estatal anunciou nesta quarta-feira que seu lucro ajustado de janeiro a março somou 6,613 bilhões de reais, um aumento de 34,6% ano a ano e acima da previsão média de analistas consultados pela Refinitiv, de 5,341 bilhões.

O retorno sobre o patrimônio líquido ajustado (ROE) do trimestre subiu 3,1 pontos percentuais, para 17,3%.

Numa mão, o BB viu sua carteira de crédito ampliada crescer 16,4% em 12 meses, para 883,5 bilhões de reais no fim de março, com destaque para empresas e o agronegócio. A previsão do banco para 2022 é de alta de 8% a 12%.

Diferente de rivais privados, o BB elevou a despesa com provisão para perdas esperadas com inadimplência de maneira muito menos intensa: subiu 9,3% no comparativo anual, para 2,758 bilhões de reais. O Itaú Unibanco, por exemplo, divulgou na semana passada alta desta linha da ordem de quase 70%.

No relatório, o BB argumentou que havia elevado em 2020 seu nível cobertura, "a qual deverá ser reduzida gradualmente ao longo dos próximos trimestres".

O movimento foi sustentado com a manutenção do índice de inadimplência acima de 90 dias em níveis inferiores aos de Bradesco, Itaú Unibanco e Santander Brasil, ficando em 1,89%, ante 1,95% um ano antes.

Em outra frente, as receitas do BB com tarifas e serviços cresceram 9,4% ano a ano, para 7,525 bilhões de reais, com destaque para as áreas de seguros e de gestão de fundos.

E as despesas administrativas cresceram 6% em 12 meses, para 8,2 bilhões de reais, abaixo da inflação do período.