PUBLICIDADE
IPCA
0,47 Mai.2022
Topo

Inflação anual da zona do euro em maio é confirmada em recorde de 8,1%

17/06/2022 07h31

FRANKFURT (Reuters) - A inflação anual da zona do euro subiu para um recorde de 8,1% no mês passado, em linha com a estimativa preliminar e mais de quatro vezes a meta do Banco Central Europeu, ressaltando seus planos de aumentar as taxas de juros no próximo mês para domar o crescimento dos preços em fuga.

Inicialmente impulsionada pela escassez da oferta pós-pandemia e pelo aumento dos preços da energia após a invasão russa da Ucrânia, a inflação tornou-se agora cada vez mais ampla, afetando tudo, desde alimentos e serviços até bens de uso diário.

O crescimento dos preços nos 19 países que compartilham o euro subiu de 7,4% em abril para 8,1% em maio, em linha com uma estimativa preliminar publicada em 31 de maio, informou nesta sexta-feira a agência de estatísticas da União Europeia, Eurostat.

Embora a inflação seja agora quatro vezes a meta de 2% do BCE, as autoridades parecem igualmente preocupadas com um rápido aumento dos preços subjacentes, sugerindo que a inflação rápida está agora se enraizando através de efeitos indiretos.

A inflação excluindo os custos de alimentos e energia, um número observado de perto pelo BCE, acelerou de 3,9% para 4,4%, enquanto que uma medida ainda mais restrita que também exclui o álcool e o tabaco subiu de 3,5% para 3,8%.

Enquanto um aumento de 39% nos custos de energia foi o principal motor da inflação, os preços dos alimentos não processados subiram 9% e os preços dos produtos industriais não energéticos avançaram 4,2%. Os custos dos serviços, onde os salários têm um peso importante, subiram 3,5%

Preocupado com este aumento de preços, o BCE disse na semana passada que aumentará os juros em julho em 0,25 ponto percentual e novamente em setembro, quando será necessário um aumento maior se as perspectivas não tiverem melhorado.

Os dois movimentos tirariam a taxa de depósito do banco, atualmente em -0,5%, do território negativo, encerrando uma experiência de oito anos com taxas de juros negativas.

(Reportagem de Balazs Koranyi)