PUBLICIDADE
IPCA
-0,68 Jul.2022
Topo

UE pode proibir parte das importações de óleo combustível da Rússia 6 meses antes do prazo

15/07/2022 08h31

LONDRES/BRUXELAS/MOSCOU (Reuters) - A União Europeia pode proibir a importação e o trânsito de parte do óleo combustível vindo da Rússia cerca de seis meses antes do prazo planejado, disseram à Reuters um funcionário da UE e quatro traders.

A UE vem reduzindo as importações de produtos petrolíferos russos desde março, depois que Moscou enviou milhares de tropas para a Ucrânia. O bloco concordou com uma proibição total a partir de fevereiro de 2023.

No entanto, a importação e trânsito de carvão russo está sendo interrompido mais cedo --a partir de 10 de agosto, e tecnicamente pode incluir óleo combustível.

As proibições da UE são baseadas nos chamados códigos de Nomenclatura Combinada (NC) usados pelas alfândegas. Um dos códigos em uso para a proibição do carvão é o 2707, que também se refere a: "Óleos e outros produtos da destilação de alcatrão de carvão de alta temperatura; produtos similares em que o peso dos constituintes aromáticos excede o dos constituintes não aromáticos ".

O código aduaneiro é declarado pelo exportador do produto.

Normalmente, os produtos petrolíferos refinados de petróleo bruto têm um código NC diferente – 2710. No entanto, o óleo combustível contém aromáticos que quase sempre excedem 50%.

Alguns produtos petrolíferos não produzidos a partir da destilação de carvão também podem ser classificados sob o código 2707 se tiverem semelhanças químicas, disse um funcionário da UE à Reuters, pedindo para não ser identificado devido a restrições ao falar com a mídia.

Dois traders envolvidos no comércio de óleo combustível russo disseram que os volumes potencialmente afetados não seriam grandes.

"Apenas pequenos volumes (de óleo combustível) são exportados agora da Rússia diretamente para os países europeus", disse um deles.

A maior parte das cargas carregando óleo combustível russo foi destinada nos últimos meses ao centro petrolífero de Fujairah, nos Emirados Árabes Unidos, e à infraestrutura de transferência de navio para navio no porto de Kalamata, na Grécia.

No caso de uma proibição antecipada da UE ao óleo combustível, os compradores poderiam desviar mais cargas para transferências de navio para navio e para o mercado asiático, disseram traders.

Em junho, apenas cerca de 500.000 toneladas do total de 3,5 milhões de exportações russas de óleo combustível foram fornecidas diretamente dos portos russos para os países da UE, mostram cálculos da Reuters com base em dados da Refinitiv.

Mais de um quarto das 500.000 toneladas foram embarcadas no mês passado da Rússia para a Estônia e Letônia, que armazenam e transferem os derivados para outros destinos.