IPCA
0,46 Jul.2024
Topo

Dólar cai quase 1% no Brasil sob influência do exterior e de ajustes técnicos

26/05/2023 17h14

Por Fabricio de Castro

SÃO PAULO (Reuters) -Após a forte alta da véspera, o dólar à vista encerrou a sexta-feira em queda firme ante o real, em sintonia com a baixa da divisa norte-americana ante outras moedas de exportadores de commodities e em meio a ajustes técnicos no Brasil.

O dólar à vista fechou o dia cotado a 4,9851 reais na venda, com baixa de 0,99%. A divisa dos EUA acumulou baixa de 0,20% na semana.

Na B3, às 17:16 (de Brasília), o contrato de dólar futuro de primeiro vencimento caía 0,98%, a 4,9915 reais.

A expectativa de um acordo entre a Casa Branca e republicanos em torno da ampliação do teto da dívida dos Estados Unidos deu força a algumas moedas de exportadores de commodities, como real, o peso mexicano, o peso chileno e o peso colombiano.

Fonte ouvida pela Reuters afirmou que o presidente norte-americano, Joe Biden, e o principal republicano do Congresso, Kevin McCarthy, estão se aproximando de um acordo que aumentará o teto da dívida do governo por dois anos, limitando os gastos na maioria dos itens.

O real, o peso mexicano, o peso chileno e o peso colombiano eram as quatro moedas com maior valorização ante o dólar nesta sexta-feira, entre as principais divisas do mundo.

"Quando o país é exportador de commodities e tem juros de dois dígitos, como no caso do Brasil, sua moeda está subindo", pontuou José Faria Júnior, diretor da consultoria Wagner Investimentos.

Profissionais ouvidos pela Reuters avaliaram ainda que o recuo da moeda norte-americana ante o real obedece a ajustes técnicos. Quando o preço supera os 5,00 reais, como ocorreu na quinta-feira, surge uma pressão de venda de moeda, com exportadores aproveitando as cotações. Quando o preço cai abaixo de 4,95 reais, surge uma pressão de compra por parte de importadores.

Um operador comentou que, em função do feriado bancário nos EUA na segunda-feira, o dólar em tese não teria tanto espaço para cair ante o real nesta sexta-feira, porque muitos agentes preferem se posicionar na segurança da moeda norte-americana. Ainda assim, por conta do forte avanço da véspera, o recuo do dólar foi firme nesta sexta.

No exterior, o dólar operava próximo da estabilidade ante uma cesta de moedas neste fim de tarde, embora se mantivesse em baixa ante as moedas ligadas a commodities.

Às 17:16 (de Brasília), o índice do dólar -- que mede o desempenho da moeda norte-americana frente a uma cesta de seis divisas -- caía 0,03%, a 104,200.

(Edição de André Romani e Maria Carolina Marcello)