IPCA
0,46 Jul.2024
Topo

Yellen pede cooperação entre EUA e China em economia e clima

08/07/2023 12h44

Por Andrea Shalal

PEQUIM (Reuters) - A secretária do Tesouro dos Estados Unidos, Janet Yellen, pediu neste sábado uma comunicação mais estreita entre a China e os Estados Unidos para melhorar a tomada de decisões econômicas, e desafiou a China a se juntar a iniciativas globais para ajudar os países mais pobres a lidar com as mudanças climáticas.

Apesar das tensões bilaterais, o recorde de comércio entre EUA e China no ano passado mostrou que há "amplo espaço" para se envolver em comércio e investimento, e que é fundamental focar em áreas de interesse comum e resolver divergências por meio do diálogo, disse Yellen ao vice-primeiro-ministro chinês, He Lifeng, no início de uma reunião.

As conversas duraram cerca de cinco horas e foram seguidas de um jantar, segundo um funcionário do Departamento do Tesouro.

A imprensa estatal chinesa descreveu a reunião como "profunda, sincera e pragmática".

Embora as negociações tenham sido "construtivas", o lado chinês expressou preocupação com as sanções dos EUA e medidas restritivas contra a China, segundo a agência de notícias estatal Xinhua.

A China também acredita que generalizar o conceito de segurança nacional não é bom para as trocas econômicas e comerciais normais, informou a Xinhua.

A visita de Yellen, que irá até domingo, é a mais recente tentativa de Washington de reparar os laços entre as duas maiores economias do mundo, abalados por questões que vão de Taiwan a tecnologia], tendo um impacto nas empresas e nos laços comerciais.

Como o secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, que visitou no mês passado pela primeira vez na presidência de Joe Biden, Yellen está buscando um equilíbrio delicado entre a conciliação e continuar pressionando Pequim a interromper práticas que Washington diz serem prejudiciais para as empresas norte-americanas e ocidentais.

Ambos os lados minimizaram as expectativas de avanços, ao mesmo tempo em que elogiaram a oportunidade de uma diplomacia presencial.

"Em meio a uma perspectiva econômica global complicada, há uma necessidade premente de as duas maiores economias se comunicarem e trocarem opiniões sobre nossas respostas a vários desafios", disse Yellen a He.

Fazer isso pode "ajudar ambos os lados a entender melhor as perspectivas econômicas globais e tomar melhores decisões para fortalecer nossas economias", disse ela.

Ao mesmo tempo, Yellen reiterou que Washington deseja garantir uma competição saudável com um "conjunto justo de regras" que beneficiaria os dois países ao longo do tempo.

Ao encontrá-la na casa de hóspedes do estado de Diaoyutai, onde dignitários estrangeiros são frequentemente recebidos, He disse que estava pronto para trabalhar com Yellen.

(Reportagem adicional de Ryan Woo)