Interessados no Casino apresentam propostas e devem elevar ofertas

Por Dominique Vidalon

PARIS (Reuters) - Interessados em adquirir o varejista francês Casino apresentaram nesta terça-feira seus respectivos planos para resgatar o grupo, disseram duas fontes próximas ao assunto, e o jornal Les Echos afirmou que as propostas serão elevadas.

O bilionário tcheco Daniel Kretinsky está competindo com um consórcio liderado pelo empresário de telecomunicações Xavier Niel, o banqueiro de investimentos Matthieu Pigasse e o empresário Moez-Alexandre Zouari para assumir o controle do Casino, que está sobrecarregado com uma dívida líquida de 6,4 bilhões de euros (7 bilhões de dólares) e já alertou sobre um aumento do risco de "default".

Ambos fizeram apresentações para a administração do Casino, mediadores nomeados pelo tribunal e autoridades do governo em uma reunião organizada pelo Ministério das Finanças francês.

"Vamos apresentar uma oferta revisada", disse Pigasse ao Les Echos, sem dar detalhes. A reportagem do Les Echos acrescentou que Kretinsky também aumentaria sua oferta.

Eles detalharam seus planos sobre questões como estratégia de preços, futuro das lojas do grupo, metas de vendas e lucratividade, segundo as fontes.

Após a reunião, os mediadores - que estão supervisionando as negociações com os credores do Casino - devem estabelecer um prazo para que os concorrentes apresentem suas ofertas finais, disse uma das fontes.

O Ministério das Finanças confirmou que uma reunião sobre o Casino aconteceria nesta terça-feira sem dar mais detalhes.

Kretinsky está liderando um plano de investimento de 1,35 bilhão de euros para resgatar o Casino, superando uma proposta apresentada pela 3F, a holding liderada por Niel, Pigasse e Moez-Alexandre Zouari.

Continua após a publicidade

As injeções de dinheiro propostas são, no entanto, apenas o primeiro passo no amplo plano de reestruturação do Casino, que, segundo a companhia, exigirá um acordo com os detentores de dívidas em um processo judicial. O prazo para um acordo em princípio sobre os termos da reestruturação financeira foi fixado para 27 de julho.

O governo francês está preocupado com possíveis cortes de pessoal no Casino, o sexto maior varejista da França. O grupo tinha cerca de 50 mil funcionários no país no final do ano passado.

Independentemente de qual oferta for bem-sucedida, os acionistas existentes serão fortemente diluídos, disse o Casino.

O Casino está enfrentando as consequências de anos de negócios alimentados por dívidas que, após as recentes perdas de participação de mercado e quedas de receita, o colocaram à beira da falência.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes