Ibovespa cai mais de 1% pressionado por Petrobras e Vale e com realização de lucros

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa caía mais de 1% nesta quinta-feira, interrompendo sequência que o levou às máximas desde meados de 2021, e em movimento contrário ao otimismo em Wall Street na sessão, pressionado por Vale após queda do minério de ferro e antes de divulgar balanço no fim do dia e por Petrobras depois de resultado operacional.

Bancos também eram um peso negativo para o índice, enquanto, na ponta oposta, Assaí era destaque positivo após balanço.

Às 11:28 (de Brasília), o Ibovespa caía 1,28%, a 120.995,85 pontos, após cinco altas seguidas. Na máxima da sessão, o índice foi a 122.598,97 pontos e, na mínima, caiu a 120.800,59 pontos. O volume financeiro somava 6 bilhões de reais.

Marco Monteiro, analista da CM Capital, mencionou ainda um movimento natural após altas recentes. "É mais a correção de mercado, realização de lucros", disse ele, observando que os últimos meses do Ibovespa vêm sendo positivos. Só em junho, o índice teve avanço de 9% e, neste mês, acumula ganhos de cerca de 2,5%.

De acordo com Monteiro, essa correção é "saudável", já que abre espaço para investidores tomarem posição em alguns papéis que subiram forte recentemente.

O Ibovespa alcançou o maior patamar desde agosto de 2021 nas últimas sessões, principalmente impulsionado por empresas de commodities metálicas, como Vale, diante de promessa de estímulo econômico na China, e ao fortalecimento da perspectiva de corte de 0,5 ponto percentual na Selic na semana que vem.

Em Wall Street, os principais índices de ações avançavam nesta quinta-feira, após a decisão do Federal Reserve na véspera manter a expectativa majoritária de que os juros não serão alterados na próxima reunião, em setembro, e depois de resultado positivo da Meta. O S&P subia cerca de 0,55%%.

Dados divulgados nesta manhã ainda mostraram um crescimento da economia norte-americana no segundo trimestre em ritmo mais rápido do que o esperado

Na Europa, o Banco Central Europeu, assim como o Fed na quarta-feira, também elevou nesta manhã os juros em 0,25 ponto percentual, e manteve a porta aberta para novo aperto monetário. O índice pan-europeu STOXX 600 avançava cerca de 1,4%.

Continua após a publicidade

Entre os balanços, além de Vale, a Multiplan e a Hypera divulgam resultados no final do dia, enquanto números de Usiminas saem na manhã de sexta-feira.

DESTAQUES

- PETROBRAS PN cedia 2,55%, a 30,21 reais, enquanto ON perdia 3,11%, após a petrolífera divulgar, na noite da véspera, queda de 0,6% em sua produção de petróleo no Brasil no segundo trimestre contra um ano antes. As vendas totais de petróleo, gás e derivados da companhia caíram 9,3%. Enquanto isso, o petróleo Brent subia cerca de 1,1% no exterior, com oferta mais apertada em foco. No setor, PRIO ON perdia 0,24% e 3R PETROLEUM ON caía 0,72%.

- VALE ON exibia queda de 2,05%, a 70,29 reais, antes de divulgar balanço financeiro no final do dia e após o minério de ferro cair 1,9% em Dalian e 2,3% em Cingapura, uma vez que traders aguardavam por mais detalhes das medidas de apoio à economia prometidas pela China e que impulsionaram a commodity nas últimas sessões. Siderúrgicas também cediam, com queda de 1,86% de GERDAU PN e de 1,29% de CSN ON.

- ASSAÍ ON disparava 6,53%, a 13,71 reais. A empresa de atacarejo registrou lucro líquido trimestral de 156 milhões de reais no segundo trimestre, queda de 51,1% sobre o mesmo período no ano anterior, conforme dados publicados na noite da véspera, enquanto a receita líquida subiu 20,3%.

- GOL PN caía 2,62%, a 10,02 reais, após subir no início do pregão. A aérea divulgou nesta manhã lucro líquido de 556,3 milhões de reais no segundo trimestre, revertendo prejuízo de 2,8 bilhões sofrido um ano antes. A empresa também revisou algumas de suas projeções para o ano, tendo cortado a expectativa de crescimento da oferta de alta de 15% a 20% para expansão de 10% a 15%. A rival AZUL PN perdia 1,09%.

Continua após a publicidade

- ITAÚ UNIBANCO PN cedia 1,7%, a 28,27 reais, enquanto BRADESCO PN recuava 1,56%, a 16,45 reais.

- GPA ON tinha variação negativa de 0,55%, a 21,54 reais, após divulgar na véspera prejuízo líquido consolidado de 425 milhões de reais no segundo trimestre, contra prejuízo de 172 milhões de reais no período de abril a junho do ano passado.

-BRASKEM PNA recuava 1,22%, a 25,04 reais, após divulgar na noite da véspera prévia operacional com volume de vendas de resinas no mercado brasileiro 10% menor no segundo trimestre contra um ano antes.

(Por André Romani)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes

As mais lidas agora