Microsoft entra na mira de investigação antitruste da UE por integração do Teams ao Office

Por Foo Yun Chee e Sudip Kar-Gupta

BRUXELAS (Reuters) - A Microsoft se tornou alvo nesta quinta-feira de uma investigação antitruste da União Europeia devido à integração de seu aplicativo de chat e vídeo, o Teams, com o produto Office, colocando-a em risco de receber uma multa significativa.

A gigante de tecnologia dos EUA acumulou 2,2 bilhões de euros em multas antitruste na UE na década anterior por práticas que violavam as regras de concorrência do bloco, incluindo a vinculação ou combinação de dois ou mais produtos.

Desde então, a Microsoft tem adotado uma abordagem mais conciliatória com a Comissão Europeia.

A investigação da Comissão Europeia foi iniciada após uma queixa do aplicativo de mensagens de trabalho da Salesforce, o Slack, em 2020, e após a oferta de soluções pela gigante de tecnologia norte-americana não ter atendido às preocupações do órgão de defesa da concorrência da UE.

O Teams, que a Microsoft adicionou ao Office 365 em 2017 gratuitamente para eventualmente substituir o Skype for Business, ganhou grande popularidade durante a pandemia, especialmente após oferecer o recurso de videoconferências.

A Comissão busca acelerar o caso e planeja apresentar acusações formais contra a Microsoft no outono do Hesmifério Norte, a menos que a empresa melhore suas concessões, disse uma fonte familiarizada com o assunto à Reuters.

Um porta-voz da Microsoft disse que a empresa continuará cooperando com a Comissão Europeia e que está empenhada em encontrar soluções para atender as suas preocupações.

As multas da UE por violações antitruste podem chegar a 10% do faturamento global de uma empresa.

Continua após a publicidade

(Reportagem de Foo Yun Chee)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes

As mais lidas agora