Lucro da Hapvida cai 8% na base anual com custos mais elevados

Por Andre Romani e Patricia Vilas Boas

SÃO PAULO (Reuters) - A Hapvida registrou lucro líquido ajustado de 221,6 milhões de reais no segundo trimestre, uma queda de 8% na comparação ano a ano, impactada por custos mais elevados, mesmo com o aumento das vendas, informou a empresa nesta quarta-feira.

Na comparação trimestral, o lucro líquido ajustado registrou forte alta (571%).

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado foi de 606,2 milhões de reais nos meses de abril a junho, avanço de 4,1% ano a ano.

A operadora de saúde reportou alta de 12,4% na receita líquida consolidada ante o ano anterior, para 6,84 bilhões de reais, beneficiada pelo crescimento em planos de saúde, que aumentou 14,8% ano a ano, disse a empresa.

Por outro lado, a sinistralidade caixa da companhia foi de 73,9% no período, aumento de 1,6 ponto percentual na comparação com os primeiros três meses deste ano e com o segundo trimestre de 2022, quando em ambos o indicador registrou 72,3%.

Segundo a Hapvida, esse aumento trimestral "deu-se principalmente pelo aumento das utilizações da rede decorrentes das viroses típicas do período".

As despesas administrativas caixa somaram 624,8 milhões de reais, alta de 9,6% ano a ano, e as despesas com vendas totalizaram 482 milhões de reais, crescimento de 7,5% na mesma base de comparação.

(Por André Romani e Patrícia Vilas Boas; Edição de Pedro Fonseca e Alexandre Caverni)

Deixe seu comentário

Só para assinantes