Dólar à vista oscila em leve alta após dados de inflação no Brasil e nos EUA

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar à vista passou a registrar leve alta na manhã desta sexta-feira, enquanto o contrato futuro da moeda norte-americana oscilava muito próximo da estabilidade, com o mercado digerindo os novos dados de inflação divulgados no Brasil e nos EUA.

Às 10:09 (de Brasília), o dólar à vista avançava 0,32%, a 4,8998 reais na venda. Na B3, o contrato de dólar futuro de primeiro vencimento subia 0,06%, a 4,9175 reais.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou durante a abertura dos mercados que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) subiu 0,12% em julho, após baixa de 0,08% no mês anterior.

No acumulado de 12 meses até julho, o IPCA teve alta de 3,99%, contra alta 3,16% do mês anterior. Pesquisa da Reuters apontou que a expectativa de analistas era de alta de 0,07% em julho, acumulando em 12 meses alta de 3,93.

Nos EUA, o Departamento do Trabalho informou às 9h30 que o índice de preços ao produtor para a demanda final subiu 0,3% no mês passado, ante variação zero do mês anterior. Nos 12 meses até julho, os preços ao produtor aumentaram 0,8%, após alta de 0,2% em junho. Economistas consultados pela Reuters previam alta de 0,2% no mês e de 0,7% na comparação anual.

Após a divulgação dos números, que indicaram inflação ao produtor ligeiramente acima do esperado pelo mercado, o dólar ganhou força ante uma cesta de moedas fortes no exterior e também ante boa parte das divisas de países exportadores de commodities ou emergentes.

Por trás do movimento está a percepção de que, com a inflação ainda acelerada, o Federal Reserve pode ser levado a subir os juros nos EUA mais uma vez ainda este ano.

No Brasil, a moeda norte-americana, que tinha um viés de baixa na abertura do dia, após o dado dos EUA ganhou um pouco de força no mercado futuro -- o mais líquido e, no limite, o que determina as cotações do segmento à vista brasileiro.

Nesta manhã, os investidores também acompanham as declarações do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, no Fórum de Gestão Empresarial da Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Estado do Paraná (FACIAP), em Curitiba.

Continua após a publicidade

No evento, Campos Neto reforçou que o BC está olhando "com bastante atenção" a inflação de serviços e que o núcleo de serviços ainda está bem acima da meta. Ao mesmo tempo, ele reconheceu que o número do IPCA divulgado nesta sexta-feira na parte de serviços foi "um pouco melhor".

Na quinta-feira, o dólar à vista fechou o dia cotado a 4,8842 reais na venda, com baixa de 0,45%.

O Banco Central fará nesta sessão leilão de até 16.000 contratos de swap cambial tradicional para fins de rolagem do vencimento de 2 de outubro de 2023.

(Por Fabrício de Castro)

Deixe seu comentário

Só para assinantes