Crescimento do PIB dos EUA no 2º trimestre é revisado para baixo

WASHINGTON (Reuters) - O crescimento econômico dos Estados Unidos foi revisado para baixo no segundo trimestre, embora a um ritmo ainda sólido, e o ímpeto parece ter se recuperado no início do terceiro trimestre já que um mercado de trabalho apertado sustenta os gastos dos consumidores.

O Produto Interno Bruto cresceu a uma taxa anualizada de 2,1% no último trimestre, informou o governo nesta quarta-feira em sua segunda estimativa do PIB para o período de abril a junho.

Essa taxa foi revisada para baixo em relação ao ritmo de 2,4% informado no mês passado, enquanto economistas consultados pela Reuters esperavam que não houve mudança.

A revisão refletiu o rebaixamento dos investimentos em estoques, bem como dos gastos das empresas com equipamentos e produtos de propriedade intelectual.

A economia cresceu a um ritmo de 2,0% no primeiro trimestre e continua a avançar, apesar dos aumentos de 525 pontos-base na taxa de juros pelo Federal Reserve desde março de 2022.

Ela está se expandindo em um ritmo bem acima do que as autoridades do Fed consideram como a taxa de crescimento não inflacionária de cerca de 1,8%.

A resiliência da economia aumenta o risco de que os custos dos empréstimos permaneçam altos por algum tempo, mas a desaceleração da inflação está alimentando o otimismo de que o banco central dos EUA provavelmente já terminou de aumentar os juros e pode engendrar um "pouso suave". A maioria dos economistas recuou em suas previsões de recessão para este ano.

Embora o mercado de trabalho esteja desacelerando, com as vagas abertas de emprego caindo para o nível mais baixo em quase dois anos e meio em julho, os empregadores estão, em grande parte, mantendo seus funcionários após as dificuldades de contratação durante a pandemia.

Isso está mantendo o crescimento salarial elevado, ajudando a impulsionar os gastos dos consumidores. As vendas no varejo aumentaram fortemente em julho, enquanto a construção de casas unifamiliares foi robusta.

Continua após a publicidade

Os economistas têm aumentado suas estimativas de crescimento para o terceiro trimestre, chegando a uma taxa de 5,9%, embora isso provavelmente exagere a saúde da economia.

(Reportagem de Lucia Mutikani)

Deixe seu comentário

Só para assinantes