Petrobras assina acordos em busca de fortalecer relação comercial com China

Por Marta Nogueira e Patricia Vilas Boas

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A Petrobras assinou quatro memorandos de entendimento (MOUs) com China Energy, SINOPEC, CNOOC e Citic Construction, principais grupos de petróleo e energia da China, em um passo que reforça a busca da companhia por fortalecer a relação comercial com o país asiático, disse a petroleira em comunicado nesta quarta-feira.

As assinaturas ocorreram entre os dias 28 e 30 de agosto, durante missão estratégica da companhia à China, liderada pelo presidente Jean Paul Prates e diretores.

Formalizados com os CEOs de cada grupo, os acordos são direcionados à prospecção de novas oportunidades de negócios conjuntos nos segmentos de exploração e produção, transição energética, refino, petroquímica, energia renovável, hidrogênio, fertilizantes, amônia e captura de carbono, disse a companhia no comunicado.

A empresa adicionou que a operação visa buscar possíveis parcerias no Brasil, China e em outras regiões, como Bolívia e Suriname.

"Estamos reforçando os laços comerciais e estratégicos com os principais grupos empresariais da China. Queremos fortalecer nossos negócios e diversificar as operações, através das novas alianças firmadas", disse Prates no comunicado.

"Vamos expandir nossos negócios no Brasil e no exterior e apostamos no sucesso futuro dessas alianças que firmamos aqui, na China."

A petroleira explicou que os memorandos assinados são de caráter não vinculante e, para acompanhar o progresso dos estudos e discussões, serão formados comitês de representantes de cada empresa.

Após a conclusão das análises técnicas necessárias, potenciais projetos advindos dos acordos assinados terão estimativas oficiais de custo, prazo e retorno, a fim de que sejam futuramente apreciados pelas instâncias de aprovação interna, de acordo com a governança da companhia.

Continua após a publicidade

Durante a missão, a petroleira também assinou acordos com o Bank of China e o China Development Bank (CDB), dois dos principais bancos da China, com atuação nos setores petróleo, gás e energia.

O CEO e os diretores da Petrobras visitaram ainda instituições e empresas chinesas do setor, como a agência de energia da China, National Energy Administration (NEA), Embaixada do Brasil em Pequim, CNPC, Gold Wind, Sinochem, State Grid e CNCEC.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes

As mais lidas agora