Criação de vagas nos EUA acelera em agosto, mas taxa de desemprego sobe e ganhos salariais diminuem

Por Lucia Mutikani

WASHINGTON (Reuters) - A economia dos Estados Unidos criou mais empregos do que o esperado em agosto, mas um aumento na taxa de desemprego para 3,8% e a moderação no crescimento dos salários apontam para um arrefecimento das condições do mercado de trabalho, o que pode reforçar expectativas de que o Federal Reserve não aumentará as taxas de juros este mês.

A criação de vagas fora do setor agrícola totalizou 187 mil empregos no mês passado, informou o Departamento do Trabalho norte-americano em seu relatório de emprego, acompanhado de perto pelo mercado, nesta sexta-feira. Os dados de julho foram revisados para baixo, mostrando 157 mil empregos criados, em vez dos 187 mil relatados anteriormente.

A economia precisa criar cerca de 100 mil empregos por mês para acompanhar o aumento da população em idade ativa.

Economistas consultados pela Reuters previam que o saldo de vagas ficaria em 170 mil empregos no mês passado. A greve dos atores de Hollywood e a falência de uma grande empresa de caminhões levaram os economistas a prever um avanço menor da criação de empregos em agosto.

Embora a demanda por mão de obra esteja diminuindo, algumas empresas de serviços, como restaurantes, bares e hotéis, continuam desesperadas por trabalhadores. As vagas de emprego em aberto caíram para o nível mais baixo em quase dois anos e meio em julho, informou o governo esta semana.

A taxa de desemprego dos EUA aumentou para 3,8%, de 3,5% em julho, à medida que mais pessoas entraram na força de trabalho. Ela permanece abaixo da estimativa mediana mais recente do banco central dos EUA, de que o desemprego avançará para 4,1% até o quarto trimestre deste ano.

Desde março de 2022, o Fed aumentou sua taxa de juros em 5,25 pontos percentuais, para a faixa atual de 5,25% a 5,50%.

Antes do relatório de emprego, os mercados financeiros esperavam que o Federal Reserve deixaria inalterada sua taxa de juros de referência na reunião de política monetária de 19 e 20 de setembro, de acordo com a ferramenta FedWatch do CME Group.

Continua após a publicidade

Com o afrouxamento do mercado de trabalho, o crescimento dos salários arrefeceu um pouco. O salário médio por hora aumentou 0,2%, depois de ter subido 0,4% em julho. Nos 12 meses até agosto, os salários avançaram 4,3%, após um aumento de 4,4% em julho.

(Reportagem de Lucia Mutikani)

Deixe seu comentário

Só para assinantes