Eficiência é "nova moeda" no mercado de veículos elétricos, diz presidente da Mercedes

Por Joseph White e Ilona Wissenbach

DETROIT (Reuters) - O presidente-executivo da Mercedes-Benz, Ola Kaellenius, disse à Reuters que o mais novo design de veículos elétricos da montadora, a ser lançado com o sedã elétrico compacto CLA no próximo ano, terá como meta uma autonomia de 30% a 35% maior para cada quilowatt-hora de energia armazenada na bateria do que os atuais veículos elétricos da marca.

A Mercedes também oferecerá uma bateria de fosfato de ferro-lítio (LFP) na nova linha de modelos do CLA, que chegará aos showrooms em 2025, algo inédito para qualquer veículo elétrico da Mercedes, disse o presidente-executivo em entrevista.

Com uma bateria LFP, a Mercedes poderá oferecer um modelo de preço mais baixo em um segmento competitivo atualmente dominado pela Tesla. Na China, o novo CLA também enfrentará a concorrência de marcas chinesas de veículos elétricos que usam baterias do mesmo tipo.

A Mercedes fará uma prévia do futuro carro elétrico com um protótipo a ser apresentado no salão do automóvel IAA em Munique, Alemanha, no domingo.

"A eficiência é realmente a nova moeda quando entramos em veículos elétricos", disse ele.

O novo CLA tem como meta o uso de energia de 12 kWh por 100 km e 750 km de autonomia de condução, disse Kaellenius. Isso se compara aos 17 a 18 kWh por 100 km em um modelo de SUV compacto EQA 350 que a Mercedes oferece atualmente.

Um Tesla Model 3 atual é avaliado em 13,1 kWh por 100 km.

Com esses níveis de eficiência, o futuro CLA deve ser o equivalente elétrico de um carro que consome um litro de gasolina por 100 km de condução, disse Kaellenius.

Continua após a publicidade

O chamado carro de um litro é, há muito tempo, uma meta ambicionada pelas montadoras europeias. O carro XL1 da Volkswagen atingiu essa marca, com um powertrain diesel-elétrico. A VW vendeu apenas 200 unidades.

"Quando você fala sobre a eficiência de um carro elétrico, você otimiza todo o sistema", disse Kaellenius.

A Mercedes tem o desafio adicional de compensar o consumo de energia dos chips de alta potência da Nvidia que serão usados para controlar a assistência ao motorista, grandes telas de infoentretenimento e outros sistemas no CLA e em futuros veículos elétricos, acrescentou.

Os engenheiros da Mercedes têm testado maneiras de melhorar a eficiência usando viagens longas em um protótipo de veículo chamado Vision EQXX. Esse veículo reduziu o consumo de energia em até 8,3 kWh por 100 km, segundo a Mercedes.

Para o Vision EQXX, "não demos limites aos engenheiros", disse Kaellenius.

Deixe seu comentário

Só para assinantes