Conteúdo publicado há 10 meses

Petrobras eleva querosene de aviação em 21,4%; terceira alta mensal seguida

RIO DE JANEIRO (Reuters) -A Petrobras elevou em 21,4% o preço médio do querosene de aviação (QAV) vendido a distribuidoras a partir desta sexta-feira, em sua terceira alta mensal consecutiva, informou a companhia.

O aumento em setembro corresponde a 0,74 real por litro em relação ao preço do mês anterior, adicionou a petroleira, que reajusta mensalmente os preços do QAV de acordo com fórmulas contratuais negociadas com as distribuidoras.

Apesar dos avanços, há uma redução acumulada neste ano no preço médio do produto da Petrobras de 17%, ou 0,87 real por litro, na comparação com o valor de dezembro de 2022, adicionou a companhia.

As altas consecutivas ocorrem diante de uma disparada dos preços do petróleo no mercado internacional nos últimos meses, com impactos nos valores de seus derivados produzidos em refinarias.

Em meados do mês, a Petrobras havia aumentado em 16,3% os preços médios da gasolina e em 25,8% os do diesel.

A Petrobras tem reiterado que vende o QAV produzido em suas refinarias ou importado apenas para as distribuidoras, que por sua vez transportam e comercializam os produtos para as empresas de transporte aéreo e outros consumidores finais nos aeroportos, ou para os revendedores.

As distribuidoras e revendedoras são as responsáveis pelas instalações nos aeroportos e pelos serviços de abastecimento, disse a empresa, ressaltando que não existem restrições legais, regulatórias ou logísticas para que outras empresas atuem como produtores ou importadores de QAV.

(Por Marta Nogueira; edição de Roberto Samora e Pedro Fonseca)

Deixe seu comentário

Só para assinantes